Acesso ao principal conteúdo
Israel/Palestinos

Israelenses e palestinos retomam negociações no Cairo

O chefe da delegação palestina, Saeb Erekat, conversa com o chefe da Liga Árabe, Nabil El-Araby, nesta segunda-feira (11), no Cairo.
O chefe da delegação palestina, Saeb Erekat, conversa com o chefe da Liga Árabe, Nabil El-Araby, nesta segunda-feira (11), no Cairo. REUTERS/Asmaa Waguih
Texto por: RFI
3 min

As autoridades israelenses e palestinas retomaram nesta terça-feira (12), no Cairo, negociações indiretas com a mediação do Egito, no segundo dia de um cessar-fogo previsto para durar 72 horas na Faixa de Gaza.

Publicidade

As duas delegações estão no quartel geral dos serviços de informação egípcios, que conduzem a mediação para tentar chegar a uma trégua permanente. Iniciados no dia 8 de julho, os combates na Faixa de Gaza já deixaram quase 2 mil mortos no campo palestino e 67 no lado israelense.

Na segunda-feira, sem nunca se encontrarem, as duas partes realizaram mais de nove horas de negociações no mesmo local. Os egípcios se alternam entre as duas salas onde as delegações estão instaladas.

"As divergências continuam profundas. Não houve progresso nas negociações", afirmou na terça-feira um dirigente israelense, descrevendo o primeiro dia de discussões. "As negociações são difíceis e extenuantes", explicou por sua vez no Cairo um integrante da delegação palestina.

Segundo os palestinos, os israelenses pediram já na segunda-feira uma prolongação do cessar-fogo de três dias que expira nesta quarta-feira à meia-noite, no horário local. Mas palestinos e egípcios querem concluir um acordo antes da expiração da trégua atual.

Exigências contraditórias

Os negociadores devem chegar a uma fórmula complexa para satisfazer exigências aparentemente contraditórias: a segurança para os israelenses e a suspensão do bloqueio à Faixa de Gaza para os palestinos.

De acordo com membros da delegação palestina, Israel teria proposto reduzir as restrições em dois pontos de passagem da fronteira entre Gaza e o território israelense, um para as pessoas e outro para as mercadorias, esse último sob supervisão internacional.

Ainda segundo negociadores palestinos, as três partes teriam aceitado a ideia de que a passagem de Rafah, entre Gaza e o Egito, seja controlada de acordo com modalidades a serem definidas pelo Egito e os palestinos.

Reunião de doadores

Um dirigente palestino afirmou, de maneira anônima, que o Egito propôs acolher uma conferência de doadores para a reconstrução da Faixa de Gaza. Os palestinos estariam esperando o resultado das negociações no Cairo antes de responder.

O conflito entre o exército israelense e o Hamas, grupo que controla a Faixa de Gaza, causou um prejuízo estimado entre US$ 4 e 6 bilhões (entre R$ 9,1 e 13,6 bilhões), segundo o ministério palestino da Economia, que havia mencionado uma reunião de doadores na Noruega em setembro.

Uma reunião ordinária dos doadores da Autoridade Palestina está prevista há muito tempo para o dia 22 de setembro em Nova York.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.