Acesso ao principal conteúdo
Ebola/Texas

Funcionária de hospital no Texas é contaminada com Ebola

Passageiros passam por área especial no aeroporto JFK, em Nova York.
Passageiros passam por área especial no aeroporto JFK, em Nova York. REUTERS/Eduardo Munoz
3 min

Uma integrante da equipe que tratou de um liberiano que morreu vítima do Ebola no Texas teve resultado positivo em exame preliminar para o vírus. A informação foi divulgada através de um comunicado pelo departamento de saúde do Texas, neste domingo (12). O aeroporto JFK, de Nova York, aumentou dispositivo de segurança para tentar barrar a entrada da doença no país.

Publicidade

A funcionária do hospital Presbiteriano de Dallas, não identificada, apresentou um pouco de febre na sexta-feira à noite e foi submetida a exames preliminares. Ela fez parte da equipe que cuidou de Thomas Eric Duncan, liberiano que morreu na quarta-feira. Nenhuma informação sobre como teria se dado a contaminação foi divulgada.

Segundo o comunicado, as autoridades sanitárias interrogaram a paciente e tentam identificar todas as pessoas que possam ter tido contato com ela. “Sabíamos da possibilidade de um segundo caso e estamos preparados para isso”, declarou o médico David Lakey, chefe do departamento de saúde do Texas. Há suspeitas de que ela não teria respeitado normas de segurança.

O teste preliminar foi feito em um laboratório da saúde pública em Austin, com resultado positivo. Mais testes serão realizados pelo Centro Federal de Controle e Prevenção de Doenças, em Atlanta.

Se for confirmado, será o primeiro caso de contágio nos Estados Unidos. Na Espanha, a auxiliar de enfermagem que contraiu o vírus em Madri ao tratar de missionários contaminados – e que morreram – está sem febre, informou um irmão da paciente.

Dispositivo de segurança em aeroportos

Poucas horas antes do anúncio desse segundo caso nos EUA, o aeroporto internacional JFK, de Nova York, adotou novas medidas para bloquear a entrada da doença no país. Passageiros vindos dos países mais atingidos pela epidemia – Libéria, Serra Leoa e Guiné – são submetidos a medição de temperatura e passam por questionários.

Dos cinco principais aeroportos dos EUA, o JFK é a porta de entrada de quase metade de cerca de 150 pessoas que chegam a cada dia vindas desses três países. Desde o começo do ano, o Ebola já matou mais de quatro mil pessoas em sete países da África.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.