Nigéria/Terrorismo

Atentado atribuído ao Boko Haram mata 47 adolescentes nigerianos

Imagem do vídeo do Boko Haram no qual o líder Abubakar Shekau exclue qualquer acordo com o governo nigeriano sobre um cessar-fogo.
Imagem do vídeo do Boko Haram no qual o líder Abubakar Shekau exclue qualquer acordo com o governo nigeriano sobre um cessar-fogo. AFP PHOTO / BOKO HARAM

Pelo menos 47 estudantes morreram nesta segunda-feira (10) após um atentado suicida realizado contra um colégio na região nordeste da Nigéria. Trata-se de um dos piores ataques atribuídos ao grupo extremista radical Boko Haram, que usa a violência para lutar contra a influência ocidental na educação das crianças e jovens do país.

Publicidade

A explosão foi registrada em um colégio de ensino fundamental e médio exclusivamente para meninos em Potiskum. A cidade é considerada a capital econômica de Yobe, um dos três Estados onde vigora uma lei marcial há um ano e meio devido à insurreição sangrenta promovida pelo grupo ulrarradical que já deixou mais de 10 mil mortos.

O massacre foi realizado no dia seguinte à publicação de um novo vídeo com o chefe do Boko Haram, Abubakar Shekau, no qual ele afirma sua intenção de criar um califado nas regiões nordeste da Nigéria conquistadas pelo grupo. Na mensagem, Abubakar Shekau exclue qualquer perspectiva de acordo com o governo para um cessar-fogo.

"Os estudantes estavam reunidos para um encontro matinal quando algo explodiu no meio deles provocando um forte barulho exatamente às 7 horas e 50 minutos", relatou um professor que testemunhou a cena.

O porta-voz da polícia nigeriana afirmou que a explosão foi provocada por um kamikaze. Segundo Emmanuel Ojukwu, o ataque teria deixado 47 mortos e 79 feridos, e o grupo Boko Haram é o maior suspeito pela autoria do massacre.

Um morador do bairro contou ter visto uma grande confusão em torno da escola, com vítimas abandonando seus sapatos em meio a marcas de sangue. Boko Haram, que na língua hussa significa "A educação ocidental é um pecado", já lançou diversos atentados contra escolas que, segundo o grupo, oferecem uma educação influenciada por valores ocidentais.

Adolescentes sequestradas

A ação de maior repercussão mundial dos extremistas do Boko Haram foi o ataque realizado no mês de abril contra a escola pública de Chibok, no estado de Borno, reduto histórico dos islâmicos radicais que resultou no sequestro de 276 adolescentes Mais de seis meses depois, 219 delas continuam detidas pelos grupo.

As autoridades nigerianas afirmaram em meados de outubro terem concluído um acordo com as lideranças do Boko Haram para um cessar-fogo que incluiria a libertação das reféns de Chibok.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI