Coreia do Norte/Armas Nucleares

Imagens sugerem que Pyongyang prepara produção de armas nucleares

Líder norte-coreano Kim Jong Un pode ser intimado a comparecer ao Tribunal Penal Internacional, caso CS aceite recomendação da ONU
Líder norte-coreano Kim Jong Un pode ser intimado a comparecer ao Tribunal Penal Internacional, caso CS aceite recomendação da ONU REUTERS/KCNA

Novas imagens de satélite sugerem que a Coreia do Norte está preparando uma instalação para enriquecer plutônio ao ponto de produzir armas nucleares. As imagens mostram vapor saindo de uma usina de reprocessamento no principal complexo do país o que, de acordo com o Instituto US-Korea da Universidade John Hopkins, indica manutenção e testes antes do início de operações.

Publicidade

A instalação é usada para reprocessar combustível gasto pelo reator de 5 megawatts de Yongbyon, a principal fonte de plutônio enriquecido a nível bélico. As últimas imagens indicam que o reator foi desligado por 10 semanas - mais do que o período necessário para manutenção de rotina. Quando operacional, este reator é capaz de produzir seis quilos de plutônio por ano - o suficiente para uma bomba nuclear.

Embora tenha advertido para o fato de que é cedo para se chegar a uma conclusão definitiva, o instituto afirma que o desligamento pode ter permitido a remoção de "um número limitado" de barras de plutônio para possível reabastecimento. As imagens também mostraram atividade de caminhões próximo à porta do prédio que recebe combustível utilizado no complexo de reprocessamento.

Ameaça norte-coreana

Essa atividade coincide com as novas ameaças de Pyongyang de promover novos testes nucleares subterrâneos em represália à adoção de uma resolução pela ONU, que condena abusos aos direitos humanos na Coreia do Norte.

A medida passou por 111 votos a 19, com 55 abstenções, e pediu ao Conselho de Segurança que exija à encaminhamento da liderança norte-coreana ao Tribunal Penal Internacional para responder a acusações de crime contra a humanidade.

Nesta quinta-feira (20), a Rússia chamou a resolução de "contraproducente". De acordo com o ministro das Relações Exteriores, Serguei Lavrov, este tipo de condenação deve se basear "em fatos e não na imprensa".

A própria Coreia do Norte declarou por meio de um porta-voz da diplomacia que a resolução é uma fraude, que não passa do esforço norte-americano para humilhar Pyongyang diante da comunidade internacional.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI