China/Violência

Ataque em região muçulmana da China deixa 15 mortos

Três pessoas foram condenadas à morte em outubro em um julgamento por "terrorismo" na região de Xinjiang.
Três pessoas foram condenadas à morte em outubro em um julgamento por "terrorismo" na região de Xinjiang. DR 中文网络照片

Pelo menos quinze pessoas morreram e 14 ficaram feridas em um suposto "ataque terrorista" na região chinesa de Xinjiang, de maioria muçulmana. A informação foi divulgada neste sábado (29) pela imprensa estatal chinesa. De acordo com o canal público CCTV, um "grupo de terroristas" atacou civis na região de Shache, o que provocou quatro mortes e deixou 14 feridos. Onze "terroristas" foram mortos a tiros.

Publicidade

A agência de notícias oficial Xinhua confirmou o balanço. Os criminosos teriam lançado explosivos e atacado civis com armas brancas em uma rua comercial, segundo a Xinhua. Policiais que estavam em patrulha no bairro mataram 11 agressores. As forças de segurança apreenderam facas, machados e explosivos.

Xinjiang é palco frequente de confrontos, uma consequência das tensões entre os hans (etnia majoritária na China) e os uigures (muçulmanos de língua turca), acusados pelas autoridades de violência e "separatismo".

Localizado 200 km ao sudeste da cidade de Kachgar, o distrito de Shache - Yarkand para os uigures - registrou distúrbios violentos em julho, pouco antes do fim do Ramadã. Na ocasião, policiais mataram dezenas de pessoas que atacaram civis e veículos, segundo a imprensa estatal.

O governo chinês promove uma campanha de repressão em Xinjiang, com dezenas de execuções anunciadas oficialmente, detenções e condenações em massa após julgamentos sumários e exibições públicas de "terroristas".

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI