EUA/Jihad

Governo americano pede cuidado a soldados ao usar redes sociais

Documento interno do FBI alerta soldados para os riscos de se expor nas redes.
Documento interno do FBI alerta soldados para os riscos de se expor nas redes. Reprodução ABC News
2 min

Autoridades norte-americanas alertaram suas tropas para que evitem falar de suas atividades militares em redes sociais. Segundo o site ABC News, o FBI e o Departamento de Segurança Interna pediram a membros atuais e antigos das forças armadas que verifiquem suas contas para eliminar postagens que possam chamar a atenção do grupo terrorista Estado Islâmico e seus apoiadores.

Publicidade

O FBI teria informações indicando que pessoas no exterior estariam procurando e contatando interessados em cometer ataques contra atuais e antigos combatentes americanos que se encontram em seu país. O boletim interno da polícia federal americana recomenda que soldados preservem sua vida pessoal para não serem monitoriados. Muitos já estariam encerrando suas contas no Facebook ou aumentando a privacidade das configurações.

As autoridades estão especialmente preocupadas com a possibilidade de haver novos atentados inspirados em dois ataques contra soldados ocorridos no Canadá em outubro – comportamento de quem tenta imitar crimes e que, em inglês, é chamado de “copycat”.

Ataques no Canadá

O primeiro atentado jihadista no Canadá resultou na morte de dois soldados. A polícia diz que os dois suspeitos que atuaram nos atentados manifestaram simpatia pela jihad islâmica e que pretendiam se juntar aos terroristas do grupo Estado Islâmico na Síria.

Desde o início das ataques aéreos norte-americanos contra o grupo extremista no Iraque e na Síria, Washington aumentou a vigilância interna. Em outubro, o Departamento de Estado alertou sobre o aumento da possibilidade de ações de retaliação contra os Estados Unidos.

Em setembro, o porta-voz do grupo Estado Islâmico Abu Mohammed al-Adnani incentivou simpatizantes da jihad que vivem em países membros da coalisão a atacar pessoas que não sejam muçulmanas.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI