Aviação

Ministério Público francês abre investigação sobre acidente da AirAsia

Equipes de resgate transportam os destroços do avião da AirAsia
Equipes de resgate transportam os destroços do avião da AirAsia REUTERS/Antara Foto/Kenarel
Texto por: RFI
3 min

O Ministério Público francês abriu uma investigação preliminar de homicídio culposo no acidente do avião da AirAsia, que caiu no domingo (28) no mar de Java, segundo informações da agência France Presse. O procedimento é comum quando há vítimas francesas, nesse caso o co-piloto Rémi Plésel. A investigação ficará a cargo da polícia de transportes aéreos.

Publicidade

O Airbus A320-200, que voava de Surabaya, na Indonésia, a Cingapura com 162 pessoas a bordo, desapareceu dos radares cerca de 40 minutos após a decolagem. Três dias após a queda, seis corpos foram resgatados, incluindo o de uma mulher vestida com o uniforme da companhia, provavelmente uma comissária de bordo.

Mau tempo

As operações de resgate do avião da AirAsia no mar de Java não puderam ser retomadas nesta quarta-feira (31) por causa do mau tempo na região.

Chuvas e ventos fortes impedem as equipes de se aproximar da zona onde o aparelho foi localizado. Quando o tempo melhorar, os corpos serão transferidos para a cidade de Pangkalan Bun, no sul da Indonésia, que tem a pista de pouso mais próxima do local do acidente.

Desaparecimento no domigo

O avião da companhia malaia AirAsia desapareceu na manhã do domingo (28) entre a Indonésia e a Cingapura. O voo QZ8501 saiu de Surabaya, na ilha de Java, e deveria aterrissar em Cingapura às 8h35 (hora local).

O avião perdeu contato com as torres de controle de Jacarta às 6h24 (21h24 pelo horário de Brasília), 42 minutos depois de ter decolado de Subaraya, na ilha de Java, em direção a Cingapura. As autoridades informaram que a aeronave estaria entre entre a ilha de Borneo e a ilha de Java quando fez seu último contato.

Segundo a AirAsia, o piloto pediu para mudar o itinerário previsto antes de decolar e para voar um pouco mais alto, com o objetivo de evitar turbulências. Essa região do sudeste asiático passa, no momento, por seu período de chuvas.

No total, o voo QZ8501 levava 149 indonésios, 3 sul-coreanos, um malaio, um cingapurense e um britânico. Entre os tripulantes, havia seis indonésios e o co-piloto francês.

Em uma coletiva de imprensa, o diretor da aviação civil da Indonésia, Djoko Murjatmodjo, informou que o Airbus A320-200 estava em boas condições e passou por uma avaliação no dia 16 de novembro. Mas, segundo o responsável, “a previsão do tempo no local não era boa”.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI