Acesso ao principal conteúdo
FRANÇA

Polícia cerca presumíveis terroristas perto de Paris

Intervenção policial em Saint Denis
Intervenção policial em Saint Denis REUTERS/Christian Hartmann
Texto por: RFI
2 min

Pelo menos dois terroristas presumíveis morreram incluindo uma kamizaze esta manhã quando a polícia cercava um apartamento de Saint Denis, perto de Paris, presumível esconderijo de um grupo que poderia estar implicado nos atentados da sexta-feira. A área está vedada, tendo sido ouvidas explosões e tiroteios desde a madrugada.

Publicidade

A operação começou às quatro da madrugada na região de Saint Denis, a norte de Paris. Tudo leva a crer que o presumível mentor dos ataques se encontra no local. Trata-se do jihadista belga conhecido como Abou Omar que estaria por detrás de atentados abortados na Bélgica.

País de onde ele terá conseguido escapar levando o seu irmão de apenas 12 anos para o jihad na Síria.

As autoridades estavam convencidas de que ele se encontrava nesse país onde ele protagonizou videos transportando na sua furgoneta cadáveres de supostas vítimas do autodenominado Estado Islâmico.

Ora ele teria conseguido penetrar em território francês para alegadamente supervisionar os ataques mortíferos de Paris da passada sexta-feira.

A circulação de autocarros e do metro está interrompida no local e a polícia pede às pessoas para que se mantenham em casa, dado o perigo e a determinação dos suspeitos no interior de um apartamento, com registo já de vários polícias feridos.

As autoridades estavam cientes de que haveria cúmplices dos kamikazes da sexta-feira que semearam o terror em Paris.

Ora o grupo em causa encontrar-se-ia mesmo junto à capital, nas imediações da Basílica Saint Denis, emblemático local onde estão sepultados vários reis de França.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.