Acesso ao principal conteúdo
Reino Unido

Reino Unido decide hoje intervenção na Síria

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, defende que o Reino Unido deve juntar-se aos ataques aéreos contra o Estado Islâmico, na Síria.
O primeiro-ministro britânico, David Cameron, defende que o Reino Unido deve juntar-se aos ataques aéreos contra o Estado Islâmico, na Síria. REUTERS/Darren Staples/Files
Texto por: RFI
3 min

Na Grã-Bretanha, o primeiro-ministro, David Cameron, apresentou uma proposta ao parlamento britânico, no sentido de combater o terrorismo na Síria. O Parlamento britânico vai decidir ainda hoje se entra na coligação internacional contra o Estado Islâmico.

Publicidade

O primeiro-ministro britânico David Cameron pediu esta quarta-feira aos deputados para votarem a favor de uma intervenção na Síria, juntando-se à coligação internacional, sublinhando que o país tem que tomar as suas responsabilidades e apoiar os seus aliados contra os terroristas do Estado Islâmico.

O primeiro-ministro afirmou que os britânicos não podiam estar à espera de uma possível estabilidade política na Síria para intervir e que uma intervenção do Reino Unido podia ser decisiva na luta contra o Estado Islâmico.

David Cameron tem uma curta maioria no Parlamento que deverá, a priori, aprovar os ataques na Síria.

Todavia os debates têm sido complicados visto que ainda ontem o Primeiro Ministro britânico afirmou que os deputados que estavam contra a intervenção, eram simpatizantes dos terroristas. Uma acusação que caiu mal no seio da oposição.

De referir no entanto que a opinião pública está cada vez menos a favor de uma intervenção. Na semana passada, 59% estavam a favor e esta semana baixou para 48%.

A decisão será conhecida nas próximas horas.

Ouça a crónica sobre o Reino Unido aqui.

Crónica de Marco Martins

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.