Acesso ao principal conteúdo
Bélgica/Jihadistas/Estados Unidos

Neutralização de terroristas na Bélgica, Turquia...

Charaffe al-Mouden, jihadista francês, de origem marroquina, morto pela coligação ocidental, a 25 de Dezembro, 2015.
Charaffe al-Mouden, jihadista francês, de origem marroquina, morto pela coligação ocidental, a 25 de Dezembro, 2015. AFP
Texto por: João Matos
5 min

Este dia de hoje fica marcado por uma série de acções contra membros do chamado estado islâmico, com prisoes na Bélgica e na Turquia de suspeitos que preparavam ataques por altura do fim do ano, enquanto Pentágono anunciava a morte de 10 chefes jihadistas, na Síria, entre eles, o francês, Charaffe al-Mouadan.

Publicidade

Há toda uma estratégia de neutralização e combate contra o grupo jihadista, estado islâmico, em campo de batalha no Iraque e na Síria, mas também, em matéria deluta anti-terrorista.

Assim, a polícia belga prendeu esta terça-feira, 29 de dezembro, dois suspeitos de prepararem ataques terroristas, para a noite de S. Silvestre e dia de Ano Novo, suspeitos que estavam na posse de documentos de propaganda e fardas militares do Daesh.

Quatro outras pessoas interrogadas acabaram por ser soltas pela polícia belga.

Na Turquia, a polícia prendeu igualmente dois membros do Daesh, acusados de estarem a preparar ataques suicidas, em Ancara, no fim do do ano. Os dois homens tinham ido da Síria, onde o grupo estado islâmico, tem sofrido grandes baixas, assim como no Iraque, onde perdeu a cidade estratégica de Ramadi.

Tudo isto, quando nos Estados Unidos, o Pentágono, acaba de divulgar uma lista de 10 chefes terroristas mortos durante ataques contra o chamado estado islâmico, entre eles, Abdoul Kader Hakim, chefe de operações do grupo jihadista, no exterior, com ligações a elementos terroristas belgas.

Ou ainda o jihadista francês, Charaffe El Mouadan, de origem marroquina, e que usava, também, o nome de Aba Soulaymane, mas, desconhecendo-se a sua verdadeira envergadura na hierarquia do estado islâmico.

Charaffe El Mouadan, foi morto no dia de Natal na Síria e ele, também, era próximo de dois dos terroristas dos atentados de 13 de novembro, em Paris, Samy Amimour e do próprio belga, Abdelhamid Abaaoud, tido como organizador, desses mesmos atentados de Paris e S. Denis.

Abdelhamid Abaaoud, acabou por seu morto pela polícia francesa quando preparava, num apartamento, em S. Denis, arredores de Paris, um novo ataque, em La Défense, uma das maiores praças comerciais e financeiras de França.

João Matos, crónica sobre anti-terrorismo jihadista

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.