Terrorismo/Bangladesh

Bangladesh: atentado em Dhaka visava estrangeiros

Militares bengalis nas imediações  do   restaurante  Holey Artisan  Bakery em  Dhaka. 02  de Julho de 2016
Militares bengalis nas imediações do restaurante Holey Artisan Bakery em Dhaka. 02 de Julho de 2016 Reuters/路透社

O atentado cometido por homens armados nomeadamente com facas em Dhaka, capital do Bangladesh resultou na morte de estrangeiros , que se encontravam no restaurante, no momento  em que o acto terrorista foi levado a cabo. Reivindicado pelos jiadistas do Daech, o acto terrorista visava essencialmente os estrangeiros, que no momento do ataque estavam a jantar no Holey Artisan Bakery, um restaurante situado numa vizinhança tida como um bairro rico de Dacca, frequentado por diplomatas e pela elite local.

Publicidade

  O  comando de terroristas formado por vários homems fortemente armados, nomeadamente com facas, invadiu na noite de sexta-feira o luxuoso restaurante de Dhaka e separou os clientes estrangeiros dos seus homólogos bengalis e encetou a carfinicina, que terminou com a morte de 20 pessoas. A tomada de reféns que possibilitou aos terroristas executarem os cidadãos estrangeiros à facada, durou 11 horas. O porta-voz do Exército, Nayeem Ashfaq Chowdhury, confirmou após a neutralização dos terroristas pelas forças especiais bengalis , que a maioria dos estrangeiros mortos foram executados à facada.

 Por outro lado , Shahab Uddin, oficial superior do Exército, anunciou que as vítimas eram essencialmente, japonesas e italianas. Nove cidadãos italianos foram mortos e um dado como desaparecido, de acordo com o Ministério Italiano dos Negócios Estrangeiros.O  governo  japonês  confirmou  a morte de sete cidadãos seus, vítimas do ataque  terrorista. Segundo o Departamento de Estado,um americano foi  também assassinado durante o  massacre de Dhaka. No decurso do assalto para libertar os reféns do restaurante Holey Artisan Bakery, dois polícias , assim como seis terroristas morreram e um dos agressores foi apreendido pelas forças de segurança.

 Imagens publicadas pelos jiadistas do Estado Islâmico nas redes sociais mostram cadávares banhando em sangue. A Primeira-Ministra do Bangladesh, Sheikh Hasina Wajed , qualificou de odioso, o atentado terrorista no Holey Artisan Bakery, restaurante de um bairro rico de Dhaka, frequentado sobretudo por estrangeiros, nomeadamente diplomatas, e pela elite bengali da capital.

 Desde há vários meses que o Bangladesh debate-se com uma série de assassínios , que visa representantes das minorias religiosas, intelectuais e estrangeiros. O governo responsabiliza grupos islamitas locais pelos assassínios, reivindicados também pelos jiadistas do Daech e por uma facção bengali da rede terrorista Al Qaeda. Mais de 13 000 indivíduos foram detidos pelas autoridades nas últimas semanas, mas o governo de Dhaka tem sido criticado pela ineficácia da sua luta anti-terrorista.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI