Acesso ao principal conteúdo
PORTUGAL

Madeira: incêndios mataram pelo menos 3, centenas de desalojados

Bombeiros combatem incêndio junto à Igreja da Boa Nova, Funchal, Madeira, 10 de Agosto de 2016
Bombeiros combatem incêndio junto à Igreja da Boa Nova, Funchal, Madeira, 10 de Agosto de 2016 Lusa
Texto por: RFI
2 min

Os incêndios tiraram a vida a pelo menos 3 pessoas na ilha portuguesa da Madeira. Cerca de mil habitantes foram desalojados pelas chamas que de forma inédita consumiram habitações, hoteis e viaturas mesmo no centro do Funchal, a principal cidade.

Publicidade

São muitas as frentes de incêndio ainda activas no sul e no oeste da ilha, nomeadamente na Boa Nova, zona alta do leste do Funchal.

O vento terá acalmado e mudado de direcção. As fortes rajadas de vento e as respectivas mudanças de sentido estariam na origem desta catástrofe inédita na Madeira com o centro do Funchal a ser alvo de explosões quando o fogo avançou em várias frentes consumindo casas e semeando o caos.

Contrariamente ao anunciado ontem durante o dia o presidente do governo regional, Miguel Albuquerque, admitiu estar-se numa situação "periclitante", tendo sido pedido apoio ao governo central.

Miguel Albuquerque, presidente do governo regional da Madeira

Cerca de 130 homens provenientes do Continente e dos Açores já se deslocaram para a Madeira para auxiliar os bombeiros locais.

Portugal, para além da Madeira, vive mais de 100 focos de incêndio na parte continental.

O governo de Lisboa decretou um pré alerta europeu e admitiu implementar um protocolo bilateral com a Rússia para poder debelar as muitas frentes de incêndio que lavram também importantes áreas do norte do país onde na noite passada os bombeiros não tiveram mãos a medir.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.