Acesso ao principal conteúdo
União Europeia

Paris e Berlim estabelecem a sua agenda antes de Bratislava

Francois Hollande recebeu hoje Angela Merkel no Eliseu.
Francois Hollande recebeu hoje Angela Merkel no Eliseu. REUTERS/Philippe Wojazer
Texto por: Liliana Henriques
3 min

Em vésperas da cimeira europeia de Bratislava, o presidente francês François Hollande recebeu hoje no palácio do Eliseu, em Paris, a chanceler alemã Angela Merkel para concertar posições antes desta reunião sobre o pós-Brexit num contexto em que a União Europeia tem estado a atravessar uma crescente crise de confiança.

Publicidade

No final deste encontro, o dueto Hollande-Merkel falou de uma só voz sobre a forma como vêm o futuro da Europa, ambos não excluindo a ideia de se formar um "primeiro círculo de países" que poderiam avançar mais rapidamente. Os dois dirigentes concordaram também e sobretudo sobre a necessidade de definir uma agenda para a Europa pós-Brexit, uma agenda cujas prioridades seriam a defesa e segurança, designadamente com o aumento dos financiamentos para as operações militares da União Europeia, actualmente assegurados no essencial pelos Estados Europeus que nelas participam. Já quanto à formação de um exército europeu, embora o Reino Unido já não esteja aí para se opor a esse projecto defendido pela Comissão Europeia, esta não faz parte das prioridades do eixo franco-alemão.

O outro pelouro desta agenda é a preparação do futuro, nomeadamente o futuro tecnológico e a transição energética e por fim, a terceira prioridade é a juventude, Angela Merkel realçando que a Europa deve permanecer "um continente de esperança".

"Esperança" não será contudo o momento que os 27 estão a atravessar perante a perspectiva da saída da Grã-Bretanha que amanhã não participa nesta cimeira que contudo será dominada precisamente pela sua situação. Desde a sua chegada ao poder na sequência da vitória do Brexit no referendo organizado no seu país em finais de Junho, a primeira-ministra britânica Theresa May tem alimentado a incerteza quanto às suas intenções. O que se sabe é que pediu aos membros do seu gabinete para apresentar ideias no intuito de definir as modalidades do divórcio do seu país com a Europa, Theresa May tendo desde já dado a entender que não vai formalizar o pedido de divórcio antes do ano que vem. Até lá, os seus parceiros europeus não têm outra escolha senão esperar.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.