Nações Unidas

Guterres humilde face aos desafios da ONU

António Guterres humilde face aos desafios da ONU
António Guterres humilde face aos desafios da ONU REUTERS/Mike Segar

O antigo patrão do ACNUR discursou, hoje, pela primeira vez depois de ter sido nomeado secretário-geral da Organização das Nações. António Guterres escolheu as palavras "humildade e gratidão" para descrever o seu estado de espírito após da nomeação. 

Publicidade

António Guterres reagiu hoje à sua nomeação para o cargo de secretário-geral da Organização das Nações e agradeceu o voto de confiança."Gratidão, em primeiro lugar, em relação aos membros do Conselho de Segurança pela confiança que em mim exprimiram".

Guterres agradeceu igualmente à Assembleia Geral das Nações Unidas, a todos os Estados membros lembrando a transparência do processo e as qualificações dos candidatos. " (...) Agradecer o processo exemplar de transparência e abertura, bem como a todos os candidatos cuja inteligência, cuja dedicação e cujo empenhamento nesta campanha muito contribuíram para o prestígio das Nações Unidas".

O antigo primeiro-ministro português mostrou-se emocionado pelo facto do Conselho de Segurança ter decidido em unidade e de forma atempada. " Tal facto representa uma capacidade acrescida do Conselho de Segurança para em unidade e em consenso ter a possibilidade de tomar a tempo as decisões que o mundo conturbado em que vivemos exige".

Sobre os desafios e os dramas que o esperam António Guterres responde com humildade face aos mais vulneráveis. "Humildade face aos enormes desafios que me esperam, à terrível complexidade dos dramas do mundo moderno. Mas também com a humildade que é necessária para servir os mais vulneráveis. Vítimas dos conflitos, terrorismo, violações dos direitos, da pobreza e das injustiças deste mundo".

António Guterres lembrou que está apenas recomendado para o cargo e que as Nações Unidas têm um patrão que é Ban Ki-Moon a quem desejou os maiores êxitos. "Eu estou neste momento recomendado, mas não sou secretário-geral. As Nações Unidas têm um secretário-geral, ele chama-se Ban Ki-Moon. Quero aqui prestar-lhe homenagem e quero apelar a todos os Estados membros para que apoiem activamente Ban Ki-Moon na sua acção, nas suas iniciativas até ao final do seu mandato para que este possa ser concluído com os maiores êxitos".

A deliberação terá ainda de recolher maioria simples numa votação em Assembleia Geral, um escrutínio que deverá acontecer nos próximos dias. O português que sucede ao sul coerano Ban Ki-Moon assume funções dia 1 de Janeiro de 2017.

António Guterrres, eleito secretário-geral da ONU

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI