Mundo

WikiLeaks divulga laços entre Hillary Clinton e Goldman Sachs

Hillary Clinton
Hillary Clinton REUTERS/Lucy Nicholson

A faltaram cerca de três semanas das eleições presidenciais de 8 de Novembro, as acusações sobem de tom entre os dois candidatos à Casa Branca.

Publicidade

A Wikileaks publicou, ontem, três discursos de Hillary Clinton pagos pelo banco Goldman Sachs, revelando as suas ligações aos meios financeiros de Wall Street, a campanha democrata não desmentiu, mas acusou a Rússia de pirataria.

A campanha de Hillary Clinton não comentou a autenticidade dos discursos, que faziam parte de um conjunto de documentos roubados dos emails do director de campanha John Podesta e divulgados pela WikiLeaks.

A campanha da candidata democrata apontou responsabilidade ao governo russo pela pirataria informática, uma posição partilhada pelo Governo norte-americano, e acusou a WikiLeaks de tentar ajudar o rival republicano Donald Trump.

O Presidente russo, Vladimir Putin, já reagiu e acusou os Estados Unidos de usarem a Rússia "para desviar a atenção dos eleitores".

O candidato republicano à cassa Branca que desafiou a adversária democrata Hillary Clinton a fazer um teste de drogas antes do próximo debate presidencial, sugerindo que a adversária estava “dopada” durante o último debate.

O ataque do multimilionário republicano foi feito quando este acusou “a imprensa corrupta” de querer viciar a eleição de 8 de Novembro a favor de Hillary, ao noticiarem queixas de assédio sexual, umas atrás das outras, que lançaram o caos campanha presidencial.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI