Síria

Moscovo anuncia cessar-fogo humanitário em Alepo

Cenário de destruição em Alepo.
Cenário de destruição em Alepo. REUTERS/Abdalrhman Ismail

Os russos anunciaram esta manhã uma suspensão dos bombardeamentos das suas tropas e do exército de Bachar El Assad sobre Alepo e a aplicação de um cessar-fogo humanitário temporário. Trata-se de "um gesto de boa vontade", segundo refere Moscovo para explicar esta decisão sobre a qual Washington expressou o seu cepticismo, enquanto a ONU reclamava garantias de que a ajuda humanitária vai poder entrar sem risco em Alepo.  

Publicidade

A ideia segundo os russos, é permitir que a partir de quinta-feira as populações civis possam sair de Alepo em segurança, que se formem corredores humanitários e que os combatentes rebeldes que o desejem possam igualmente sair da cidade. O que Moscovo espera aliás é que os ocidentais possam convencer os rebeldes a distanciar-se dos jihadistas da antiga frente Al Nosra ligada à Al Qaeda e que deixem Alepo.

Entretanto, se de facto os bombardeamentos aéreos estão suspensos, não se sabendo contudo por quanto tempo, o Observatório Sírio dos Direitos Humanos refere que os combates via terrestre continuam na parte antiga de Alepo, na linha de demarcação entre os territórios controlados pelos rebeldes e a parte sob controlo do regime de Bachar El Assad. Refira-se ainda que antes de os russos decidirem suspender os bombardeamentos, o dilúvio de bombas que se tem abatido sobre Alepo desde o passado 22 de Setembro continuou ontem à noite tendo morto 5 pessoas, um casal e os três filhos, a guerra na Síria devendo ser analisada amanhã em Berlim pela França, a Alemanha e a Rússia.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI