CHINA

China: PC reforça poder do presidente

Patrulha policial junto à Praça Tiannamen, em Pequim, na abertura da reunião do comité central do PCC.
Patrulha policial junto à Praça Tiannamen, em Pequim, na abertura da reunião do comité central do PCC. Reuters

Arrancou hoje em Pequim a reunião do comité central do partido comunista chinês, o maior do mundo, com 88 milhões de membros. Este evento anual deve reforçar, nomeadamente, o poder do presidente Xi Jinping. Um partido sem vozes discorantes nem dissidentes.

Publicidade

O Comité central do partido comunista chinês compõe-se de 400 dirigentes, e encontra-se reunido à porta fechada num hotel da capital, sob forte dispositivo de segurança.

Um órgão que vai debater ao longo de quatro dias a gestão do país mais povoado do planeta.

Na ordem do dia está a disciplina no seio do movimento, ou seja a luta contra a corrupção, conforme noticia a agência oficial Xinhua (China Nova).

Xi Jinping chegou ao poder em 2012, o também presidente da república, aumentou o controlo do partido, como secretário-geral do partido comunista chinês.

Desde 2013 mais de um milhão de membros do partido foram punidos por corrupção.

O PC que na sequência de idêntica reunião no ano passado anunciara o fim da emblemática medida do filho único e a autorização para que todos os casais possam agora ter dois filhos.

João Francisco Pinto, director da Televisão de Macau, na China, confirma o cenário do reforço dos poderes do presidente chinês neste fórum.

Ordem do dia do comité central do PCC por João Francisco Pinto

Este mesmo interlocutor analisa o poder hegemónico deste partido na China, sem vozes discordantes nem dissidentes em relação à disciplina partidária.

 

Disciplina do PCC por João Francisco Pinto

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI