Paquistão

Atentado sangrento em escola no Paquistão

Atentado sangrento em escola de polícias no Paquistão
Atentado sangrento em escola de polícias no Paquistão REUTERS/Naseer Ahmed

Três kamikazes fortemente armados irromperam, durante a noite de ontem, numa escola de polícias em Quetta, no oeste do Paquistão, provocando a morte a mais de sessenta pessoas. Dois grupos extremistas, os Talibã do Paquistão e o auto-denominado Estado Islâmico, reivindicaram hoje o atentado terrorista.

Publicidade

Na reivindicação feita em comunicado e enviado à agência AFP, os Talibã do Paquistão explicam que o atentado pretende "vingar a morte indiscriminada dos nossos combatentes", pelos membros das forças de ordem da província de Pundjab.

Por sua vez, o autodenominado Estado Islâmico afirma através da sua agência de propaganda Amaq que o ataque foi perpetrado por " 3 Kamikazes do Estado Islâmico".

Durante a noite, três homens fortemente armados irromperam numa escola de polícia a cerca de 20 quilómetros de Quetta, capital do Baluchistão, semeando o terror por várias horas.

Os hospitais locais indicam ter recebido 61 corpos, sete dos quais ainda não foram identificados. Cerca de 700 cadetes encontravam-se na academia na altura do ataque.

O Baluchistão é a maior e mais pobre província do Paquistão, isto apesar dos importantes recursos naturais. Conhecida igualmente pela instabilidade, a região é sacudida regularmente por violências islamitas, conflitos inter-comunitários assim como insurreições separatistas.

No passado mês de Agosto, um atentado reivindicado pela facção Talibã, Jammat-ul-Ahrar e pelo grupo do Estado islâmico provocou a morte a 73 pessoas num hospital de Quetta.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI