Estados Unidos

FBI reabre investigação sobre emails de Hillary Clinton

Director FBI James Comey, reabriu investigação sobre emails de Hillary Clinton.
Director FBI James Comey, reabriu investigação sobre emails de Hillary Clinton. REUTERS/Jonathan Ernst

FBI, reabre investigação sobre o caso dos emails de Hillary Clinton, candidata democrata às presidenciais, já na recta final, pois as eleições são no dia 8 de novembro. O candidato republicano Trump felicita FBI.

Publicidade

O director do FBI, James Comey, reabriu, a 10 dias das eleições gerais, presidenciais e legislativas nos Estados Unidos, a investigação do caso dos emails de Hillary Clinton, que vinha sendo acusada de ter usado telemóveis e correio electrónico privados para tratar assuntos de segurança de Estado.

Numa carta enviada na sexta-feira aos republicanos e democratas da Câmara dos representantes, o director do FBI, James Comey, que vinha sendo pressionado pelos republicanos, anunciou, que afinal, teve novos dados que justificavam a reabertura da investigação.

Nas últimas semanas foram publicados milhares de emails pelo Wikileaks, pondo em causa a actuação da candidata democrata Hillary Clinton, ainda quando era chefe da diplomacia, com ela tratando assuntos do Estado utilizando servidores e telemóveis privados e não o circuito informático oficial do Estado.

Toda uma correspondência que incluia igualmente assuntos da esfera privada, nomeadamente, relacionados com a Fundação Bill Clinton, que recebia milhões de dólares, de países estrangeiros, como a Arábia saudita ou Qatar ou ainda conferências que o marido de Hillary Clinton fazia para grandes empresas e bancos de Wall Street, pagas até 250 mil dólares em média.

Durante este tempo, a esmagadora maioria da imprensa americana, como Washington Post ou New York Times, passou em branco, esta questão, não divulgando os mails da associação Wikileaks de Julian Assange, apoiando abertamente a candidata democrata, Hillary Clinton, e atacando o candidato republicano, Donald Trump, acusado de racista, sexista e anti-imigrantes.

Agora, esta nova reviravolta do director do FBI, James Comey e a própria candidata democrata Hillary Clinton, que já tinham sido interrogados durante várias horas, pelo Congresso, numa primeira fase da investigação, veio sacudir toda a campanha eleitoral, a poucos dias das eleições de 8 de novembro.

O Director do FBI, afirmou na carta, que a agência federal deverá determinar se as novas mensagens enviadas ainda quando Hillary Clinton era chefe da diplomacia, contêm informações confidenciais. James Comey, acrescentou não saber quanto tempo esta nova fase de investigação vai durar.

Mas ao nível político, quer os democratas, quer os republicanos e suas candidaturas, já reagiram, tendo a candidata Hillary Clinton, apelado, ao Director do FBI, a tornar públicas imediatamente as novas informações de que dispõe.

Hillary, acrescentou, que está convicta de que, vai ser confirmada a decisão que o FBI, tinha tomado em julho, ou seja, que não havia, nem há matéria para incriminá-la.

Por seu lado, o candidato republicano, Donald Trump, reagiu, felicitando o Director do FBI, por ter reaberta a investigação, até porque tal medida ia no seu sentido, pois, durante toda a campanha, vem dizendo que Hillary Clinton, envolvida em vários escândalos financeiros e políticos, não devia ser autorizada a ser candidata a estas eleições presidenciais.

Donald Trump, chegou a dizer que Hillary Clinton, devia estar na prisão, e que se ganhar as eleições, irá dar instruções ao departamento da justiça para nomear um procurador especial para instruir o processo criminal, contra Hillary Clinton, porque segundo defende, ela cometeu uma série de crimes e pôs em perigo a segurança do Estado.

Este caso já começou a ser visto como o maior escândalo da história política americana e nomeadamente, pior do que o conhecido escândalo político Watergate.

Enfim, há certos analistas e juristas, que criticam o Director do FBI, estar a reabrir a investigação nesta recta  final da campanha, quando já a tinha encerrada, alegando não haver matéria para levar o assunto avante, até à procuradoria para processar criminalmente Hillary Clinton.

A ver vamos.

João Matos sobre FBI e emails de Hillary Clinton

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI