Acesso ao principal conteúdo
Economia/Peru

APEC inquieta perante as tendências proteccionistas na América e na Europa

Os  Presidentes Barack  Obama dos Estados Unidos  e Pedro Kuczysnki do Peru durante a cimeira da APEC.19 de Novembro de 2016
Os Presidentes Barack Obama dos Estados Unidos e Pedro Kuczysnki do Peru durante a cimeira da APEC.19 de Novembro de 2016 Reuters
Texto por: RFI
2 min

Os países da Apec, aliança económica da zona Ásia-Pacífico, reunidos em Lima, capital do Peru, decididiram reafirmar o seu desacordo com toda e qualquer forma de proteccionismo, no sentido contrário, ao que alguns analistas qualificam de cruzada anti-globalização anunciada pelo presidente-eleito dos Estados Unidos, Donald Trump. Os membros da Apec, manifestam igualmente a sua preocupação face à crescente vaga anti-globalização na Europa, na qual um retorno às barreiras aduaneiras e o aumento de taxas sobre produtos estrangeiros, é defendido pelos sectores políticos mais radicais.

Publicidade

 Na sua cimeira que encerrou este domingo em Lima,capital do Perú, as economias da zona Ásia-Pacífico , actualmenbte em pleno crescimento , desejam consolidar as suas trocas comerciais, numa altura em que a Europa e os Estado Unidos da América, evidenciam cada vez mais reticências face à globalização. Durante a sua campanha para Casa Branca, o presidente-eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, pôs em causa os tratados de livre comércio assinados por Washington, nomeadamente o TPP( Parceria Comercial Transpacífica), imputando aos mesmos a causa do declínio económico,do desemprego e desigualdades no seu país. Ao TTP impulsionado pelo presidente cessante Barack Obama  subscreveram 12 países,mas  ainda não foi ratificado pelo Congresso americano.

  O movimento pró-proteccionismo  inquieta os países asiáticos da APEC e particularmente a China, que nas últimas décadas beneficiou do fluxo comercial desencadeado pela abertura registada no comércio mundial. Perante as tendências proteccionistas na Europa e nos Estados Unidos , o Presidente chinês Xi Jinping apelou para que os membros asiáticos da APEC integrem a RCEP( Regional Compreheensive Economic Partnership ) e a FTAAP( Free Trade Area of The Asia-Pacific), duas alianças comerciais regionais impulsionadas pela China.

 A RCEP ( Parceria Económica Compreensiva Regional) inclui dez paises membros da Asean( Associação das Nações do Sudeste Asiático), nomeadamente à Indonésia, Singapura, Tailândia, Vietname e Malásia, assim como os seus parceiros comerciais da região, China, Japão,Austrália, India, Coreia do Sul e Nova Zelândia . No decurso dos últimos anos, uma miríade de acordos de livre troca foram concluidos na Ásia. Um estudo da APEC, divulgado esta semana , apontava para a existência de 145 acordos regionais na matéria em 2015, dos quais mais de trinta foram assinados a partir de 2008. Segundo o economista Rajiv Biswas da firma IHS Global Insight,implicada na economia da região Ásia-Pacífico, em caso de mudança significativa da política comercial dos Estados Unidos em relação à Ásia, novas iniciativas regionais vão emergir visando incrementar as trocas comerciais.

 

        

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.