Desporto /Brasil

Brasil : homenagem aos jogadores do Chapecoense mortos na tragédia aérea

Equipa do Chapecoense dizimada em tragédia aérea no dia 28 de Novembro de 2016
Equipa do Chapecoense dizimada em tragédia aérea no dia 28 de Novembro de 2016 REUTERS/Cristiane Mattos/File photo

As autoridades competentes colombianas, confirmaram a falta de combustível como estando na origem do acidente aéreo que provocou a morte de 71 pessoas , na sua maioria futebolistas do Chapecoense e jornalistas.Chapecó, cidade no sul do Brasil, acolheu este sábado os corpos das vítimas, para uma cerimónia em memória dos jogdores falecidos na terrível tragédia. O avião da companhia LaMia que transportava a delegação do Chapecoense para a disputa da final da Copa Sul-americana, despenhou-se na segunda-feira à noite na região de Antioquia, próximo de Medellin, cidade onde a equipa brasileira devia enfrentar o Atletico local, na primeira mão do encontro.

Publicidade

 

Este sábado a cidade de Chapecó acolheu numa cerimónia em memória das vítimas da tragédia aérea ocorrida na segunda-feira à noite, os corpos dos jogadores do Chapecoense. Fogos de artifícios foram lançados quando o primeiro avião procedente de Medellin com as vítimas , aterrou em Chapecó. A homenagem aos jogadores , à equipa técnica e aos jornalistas que se encontram no fatídico voo, foi organizada no estádio Arena Condá de Chapecó, cidade da qual é oriundo o clube, situada no estado brasileiro de Santa Catarina.

O presidente Michel Temer tinha previsto inicialmente , prestar homenagem aos futebolistas mortos no aeroporto de Chapecó, para evitar de ser apupado. Temer ex-vice presidente, é tido como um dos responsáveis do golpe de Estado parlamentar, que resultou na destituição da presidente Dilma Roussef, em 31 de Agosto de 2016. Familiares das vítimas assistiram com emoção à chegada dos corpos.

Dois aviões Hercules-130 da Força Aérea Brasileira transportaram os corpos dos 50 atletas , equipa técnica e jornalistas, repatriados da Colômbia. Os caixões estavam cobertos com a bandeira de cor verde do clube e escoltados por militares. Assistiram também a cerimónia o presidente da FIFA Gianni Infantino, o técnico da selecção brasileira Tite, bem como várias personalidades. O velório da maioria dos falecidos, decorrerá no estádio  Arena  Condá, que dispõe de uma capacidade para 19.000 espectadores . Cerca de 100.000 pessoas deslocaram-se para prestar homenagem aos jogadores do Chapecoense. Morreram também na tragédia, bolivianos, colombianos, bem como um venezuelano e um paraguaio. Sobreviveram ao acidente aéreo seis pessoas, que estão em tratamento nos hospitais de Medellin.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI