Síria

Derrota iminente dos rebeldes em Alepo

Um soldado do exército sírio ao lado da bandeira nacional no leste de Alepo.
Um soldado do exército sírio ao lado da bandeira nacional no leste de Alepo. SANA/Handout via REUTERS

As forças governamentais dominam agora mais de dois terços de Alepo, cidade mais populosa da Síria antes da guerra. Os combatentes rebeldes retiraram-se do centro histórico, que controlavam há quatro anos.

Publicidade

Os combatentes rebeldes retiraram-se do centro histórico, que dominavam há quatro anos, depois de os soldados conquistarem durante a noite bairros vizinhos da cidade velha de Alepo, inscrita na lista do Património Mundial da UNESCO. A informação foi avançada pelo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

A perder terreno a cada dia que passa, os rebeldes sírios cercados em Alepo emitiram um comunicado em que pedem um cessar-fogo de cinco dias e a evacuação de cerca de 500 doentes e feridos, sob protecção das Nações Unidas, dos bairros do leste para outras regiões nas mãos dos insurgentes.

Milhares de pessoas deixaram a cidade nos últimos dias, mas calcula-se que cerca de 100 mil civis continuem nas zonas cercadas.

Os ataques a uma das áreas residenciais na zona ocidental da parte de Alepo, sob domínio governamental, resultaram na morte de um conselheiro militar russo, o coronel Ruslan Galitski, comunicou o Ministério da Defesa em Moscovo.

O exército sírio e seus aliados avançam rapidamente na parte leste de Alepo e já controlam mais de 75% da área, três semanas depois do início de uma vasta ofensiva para reconquistar a totalidade da capital económica síria.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI