Acesso ao principal conteúdo
PORTUGAL

Portugal despediu-se de Mário Soares

Caixão com corpo de Mário Soares é transportado do Mosteiro dos Jerónimos rumo ao Cemitério dos Prazeres, em Lisboa.
Caixão com corpo de Mário Soares é transportado do Mosteiro dos Jerónimos rumo ao Cemitério dos Prazeres, em Lisboa. Reuters
Texto por: RFI
1 min

“Em nome de todo o Portugal, obrigado Mário Soares” – foi com estas palavras que o presidente português Marcelo Rebelo de Sousa, cunhou as honras de Estado no funeral do antigo chefe de Estado e fundador do Partido Socialista português. 

Publicidade

Nos claustros do Mosteiro dos Jerónimos, perante convidados e altos dignitários estrangeiros – entre eles os presidentes de Cabo Verde, da Guiné Bissau e do Brasil, e ainda o rei de Espanha – Marcelo descreveu Soares como um homem que “fez história sabendo que a fazia, mesmo quando outros se recusaram reconhecê-lo”.

O Presidente sublinhou o espírito humanista de Soares, e o seu papel na transição de Portugal para a democracia após o fim do Estado Novo, e colonial... Soares soube interpretar esse tempo da História, disse Marcelo.

O corpo do antigo Presidente da república. – o primeiro civil eleito para o cargo após o 25 de Abril, chefe de Estado entre 1986 e 1996 – foi transportado para o cemitério dos Prazeres por uma escolta militar a cavalo.

A Força Aérea sobrevoou Lisboa com uma esquadrilha de F16 e a Marinha fez disparar do rio Tejo uma salva de 21 tiros de artilharia.

Confira aqui a crónica de João Pedro Vitória, em Lisboa.

Correspondência de Lisboa: as exéquias

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.