Acesso ao principal conteúdo
Estados Unidos / Cuba

Obama tira privilégios aos clandestinos cubanos

"Balseros" cubanos preparam-se para navegar até aos Estados Unidos, numa embarcação pouco segura, em Agosto de 1994
"Balseros" cubanos preparam-se para navegar até aos Estados Unidos, numa embarcação pouco segura, em Agosto de 1994 AFP/ ADALBERTO ROQUE
Texto por: RFI
3 min

O Presidente cessante norte americano, Barak Obama, anunciou na passada Quinta feira, o fim dos privilégios atribuidos há várias décadas aos imigrantes clandestinos cubanos, chegados aos Estados Unidos. A medida tem efeito imediato, e responde a uma antiga exigência de Cuba.

Publicidade

Barack Obama desejou consolidar a aproximação realizada entre Washington e a Havana, desde há dois anos, através desta medida, que existe há 50 anos, e consiste em atribuir uma Carta de Residente (Green Card) aos imigrantes clandestinos cubanos que vão chegando ao território norte – americano.
 

Mas Cuba sempre considerou esta media perigosa, e mesmo « assassina", porque incita inúmeros jovens cubanos a partir do País, e a pôr a sua vida em perigo nos caminhos da emigração.

Guillermo Fariñas, opositor cubano e defensor dos Direitos Humanos, reagiu a esta decisão do Presidente Obama. Oiça aqui:

 

Guillermo Fariñas, opositor cubano

Desde 2014 , os líderes de ambos os países abriram negociações em vários domínios : Direitos Humanos, Telecomunicações, luta contra o tráfico de droga, protecção do ambiente, gestão do espaço marítimo comum, etc. 

Mas, ao deixar as suas funções, Barak Obama deixa ainda alguns pontos ligtigiosos por resolver, e  nova Administração norte - americana, que chega a 20 de Janeiro, poderá de novo embaralhar as cartas,  e mudar as regras do jogo.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.