Acesso ao principal conteúdo
Política/França/Médio-Oriente

Conferência sobre conflito israelo-palestiniano: só negociações directas resultarão na paz, afirma Presidente Hollande

Conferência sobre o Médio-Oriente com o Presidente Hollande em primeiro plano.15.01.2017 Paris
Conferência sobre o Médio-Oriente com o Presidente Hollande em primeiro plano.15.01.2017 Paris
Texto por: RFI
6 min

Diplomatas de 70 países reunem-se em Paris numa conferência que visa relançar o processo de paz israelo-palestiniano.A conferência de Paris, decorre alguns dias antes da entrada em funções da nova administração Trump. O Presidente-eleito dos Estados Unidos que toma posse no dia 20 de Janeiro, anunciou durante a sua campanha para a Casa Branca,que poderá transferir a embaixada americana de Tel Aviv para Jerusalém. A França considera que semelhante medida contribuirá para agravar a escalada da tensão, no Médio-Oriente.O primeiro-ministro de Israel, Benyamin Netanyahu qualificou de inútil a conferência internacional de Paris.

Publicidade

 

Setenta países estão representados na conferência destinada a relançar o processo de paz entre Israel e a Autoridade da Palestina. Israelistas e palestinianos não participam no encontro internacional de Paris, que o Primeiro-ministro Benyamin Netanyahu considera inútil , bem como uma manipulação contra o Estado de Israel. Na sua alocução de abertura, o chefe da Diplomacia francesa, Jean-Marc Ayrault, afirmou que o objectivo da comunidade internacional reunida em Paris é reiterar a solução dos dois Estados, como a única possível para pôr um termo à um conflito que dura desde há 70 anos. O ministro dos negócios estrangeiros da França, declarou também que a eventual transferência da embaixada dos Estados Unidos de Tel Aviv para Jerusalém poderia ter consequências imprevísiveis. A ideia de uma mudança da representação americana para Jerusalém foi anunciada por Donald Trump, durante a sua campanha para a presidência dos Estados Unidos. Os participantes à Conferência de Paris lançaram um apelo para que tanto israelitas como palestinianos, não tomem decisões unilaterais no respeitante ao estatuto de Jerusalém assim como sobre a questão das fronteiras.

 Benyamin Netanyahu e Mahmud Abbas foram ambos convidados pelo Presidente François Hollande a participar na conferência de Paris. O Primeiro-ministro israelita rejeitou o convite e o Presidente palestiniano, deslocar-se-á à capital francesa nas próximas semanas. François Hollande realçou que sem o diálogo directo entre israelitas e palestinianos não poderá haver paz no Médio-Oriente.

 

Presidente François Hollande. 15.01.2017

Israel receia que a conferência internacional de Paris, se transforme num fórum de propostas , que serão encaminhadas para o Conselho de Segurança da ONU antes da efectividade de Donald Trump como Presidente dos Estados Unidos. No mês de Dezembro,uma resolução da ONU condenou unânimemente a colonização dos territórios palestinianos ocupados, por Israel .A administração Obama decidiu não exerceu o direito de veto dos Estados Unidos à votação, que condenou Israel. O Secretário de Estado americano John Kerry justificou a posição americana, afirmando que a expansão dos colonatos e o terrorismo, assim como a escalada da violência , estavam a criar as condições para a realidade de um Estado único na Palestina que nunca augurariam a paz.

Em Paris, o ministro dos negócios estrangeiros francês, Jean-Marc Ayrault lembrou durante a Conferência sobre o Médio-Oriente que o conflito israelo-palestiniano só poderá ser resolvido na base das fronteiras de 1967.Os 70 países presentes no encontro de Paris reafirmaram a necessidade de implementar a solução dos dois Estados.

                  

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.