Afeganistão / Atentado

Mais de 90 vítimas no ataque ao hospital de Cabul

Forças especiais em acção no Hospital militar de Cabul, no Afeganistão
Forças especiais em acção no Hospital militar de Cabul, no Afeganistão REUTERS

Pelo menos 40 pessoas morreram, e cerca de 50 ficaram feridas hoje, num ataque efectuado pelo grupo terrorista Estado Islâmico ao principal hospital militar do Afeganistão, em Cabul. As Nações Unidos, a Embaixada norte - americana em Cabul, e varias organizações não governamentais, condenaram de imediato este ataque, sublinhando que se trata duma grave violações do direito internacional. 

Publicidade

Eram 9 horas da manhã, em Cabul, quando quatro terroristas vestidos de médicos - lançaram um ataque ao hospital Sardar Daud Khan, em Cabul.
 

O hospital, com capacidade para 400 pacientes, foi palco dum ataque feroz que durou seis horas. Os pacientes viveram um autêntico pesadelo, no meio de tiros, explosões, gritos, e sirenes das ambulâncias.

Imagens da Televisão afgã mostraram civis refugiados no telhado do edifício, enquanto outros tentavam esconder-se nos corredores, ou perto das janelas. Foi só ao meio da tarde, que as forças especiais conseguiram neutralisar os terroristas.

"A maioria das vítimas eram pacientes, médicos e enfermeiros", declarou o general Daulat Waziri, porta-voz do ministério da Defesa.

O grupo terrorista Estado Islâmico reivindicou logo este ataque, por intermédidio da Telegram, ao mesmo tempo que os talibãs afegãos negavam por Twitter qualquer envolvimento neste atentado.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI