Direito/Brasil

Brasil : membros de governo e partidos políticos vão ser investigados por corrupção

Michel Temer, Presidente da  República Federativa do Brasil.
Michel Temer, Presidente da República Federativa do Brasil. REUTERS/Nacho Doce

O Supremo Tribunal Federal brasileiro decidiu abrir um inquérito judicial contra 98 dirigentes suspeitados de estar envolvidos num importante escândalo de corrupção. Nove ministros do actual govern,o bem como os presidentes da Assembleia e do Senado estão implicados no referido escândalo que se insere nas investigações judiciais efectuadas no âmbito da operação policial Lava Jato, iniciada em 2014. A operação soba égida do Ministério Público do Brasil, investiga um largo esquema de corrupção ao qual está ligada a petrolífera Petrobras,assim como grandes construtoras, entre elas a Odebrecht. O inquérito judicial que agora vai ser realizado tem como objectivo apurar a legalidade ou não das ajudas milionárias atribuidas pela multinacional brasileira . De acordo com as informações veiculadas na quarta-feira pelo Ministério Público brasileiro, a Odebrecht estaria na origem do financiamento ilegal de práticamente de todos os partidos políticos. Em declarações feitas à RFI, o politólogo Emerson Cervi, realçou o facto de que agora em diante as denúncias não só abrangem práticamente todos os partidos, mas também figuras importantes do governo.

Publicidade

  O Supremo Tribunal Federal brasileiro, decidiu autorizar a abertura de um inquérito judicial visando 98 dirigentes políticos, entre os quais 9 ministros do governo liderado pelo conservador Michel Temer. O Presidente Temer , actualmente confrontado com uma baixa popularidade , minimizou o impacto , que a investigação judicial poderá ter sobre a sua governação.

Na lista dos políticos a serem investigados estão incluidas as principais figuras do poder legislativo e executivo, designadamente o presidente da câmara dos deputados, Rodrigo Maio(DEM), o seu homólogo do Senado Eunício Oliveira(PMDB), bem como o ministro-chefe da Casa Civil Eliseu Padilha(PMDB), o secretário-geral da Presidência,Wellington Moreira Franco(PMDB), o ministro das Relações Externas, Aloysio Nunes(PSDB) e Blairo Maggi(PP) ministro da Agricultura.É a primeira vez na sequência das investigações judiciais levadas à cabo no âmbito da operação Lavato Jato, que o núcleo duro do governo de Michel Temer, também citado na lista divulgada, é abertamente visado pelas delações feitas por responsáveis da firma Odebrecht envolvida no financiamento ilegal da vida política brasileira.

 Em declarações efectuadas à RFI, o politólogo Emerson Cervi, realçou que pela primeira vez a operação Lava Jato , iniciada em 2014 para investigar um esquema de corrupção generalizada e de financiamento ilegal de partidos políticos no qual estão implicados a petrolífera Petrobras e importantes construtoras brasileiras como a Odebrecht e Camargo Corrêa, vai abranger todos os escalões da vida política brasileira. Os ex-presidentes Fernando Collor(1990-1992), Fernando Henrique Cardoso(1995-2002) , Luiz Inácio Lula da Silva(2003-2010) e Dilma Rousseff(2011-2016) também poderão ser objecto do inquérito judicial.

Segundo o politólogo Emerson Cervi, na actual fase é impossível descortinar o impacto do inquérito judicial, baseado na delação da firma Odebrecht,  sobre o futuro do governo de Michel Temer  e das instituições brasileiras.

Entrevista Emerson Cervi 13.04.2017

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI