Acesso ao principal conteúdo
BÉLGICA

Bélgica: atentado evitado na Estação Central de Bruxelas

Um indíviduo tentou ontem cometer um atentado na Gare Centrale, a principal estação ferroviária de Bruxelas, no que foi qualificado como "tentativa de assassinato terrorista" pela procuradoria belga.
Um indíviduo tentou ontem cometer um atentado na Gare Centrale, a principal estação ferroviária de Bruxelas, no que foi qualificado como "tentativa de assassinato terrorista" pela procuradoria belga. BRUNO FAHY / BELGA / AFP
Texto por: Tiago Almeida
3 min

Um indíviduo tentou ontem cometer um atentado na Gare Centrale, uma das principas estações ferroviárias de Bruxelas, no que foi qualificado como "tentativa de assassinato terrorista" pela procuradoria belga. Após ter gritado "Deus é grande" em árabe, o atacante foi abatido pela polícia. Não conseguiu fazer qualquer ferido. 

Publicidade

Ontem à noite, por volta das 20h30, um indíviduo dirigiu-se para o hall principal da Gare Centrale, em Bruxelas, onde provocou uma explosão parcial, não tendo feito qualquer ferido.

Após a primeira explosão, uma mala que o indíviduo levava consigo, que continha parafusos e botijas de gás, terá pegado fogo e também viria a explodir, com mais violência, não ferindo, no entanto, ninguém.

O atacante dirigiu-se depois para as vias ferroviárias, onde pretendia atacar um militar, após ter gritado "Allah u Akbar" ("Deus é grande" em árabe). Antes de o fazer, foi abatido pela polícia.  

Após a primeira explosão, registou-se um movimento de pânico, com relatos de várias pessoas a atravessarem as linhas de comboio. As autoridades decidiram, aliás, evacuar e fechar completamente a Gare Centrale, que entretanto já voltou a abrir.

As operações policiais continuam, no entanto, a decorrer na Bélgica. Está, aliás, a decorrer outra operação policial nas ruas perto da estação ferroviária de Antuérpia, no quadro de uma investigação com ligações à tentativa de atentado de ontem. 

Atacante residia em Molenbeek

Entretanto, o atacante foi identificado pela polícia como sendo um marroquino com 36 anos, que morava na comuna de Molenbeek, em Bruxelas, que ficou mundialmente conhecida por ter sido o local onde residiram vários terroristas, nomeadamente os irmãos Abdeslam, que participaram nos atentados de Novembro de 2015 em Paris.

A casa do indíviduo, que nunca tinha sido identificado pelas autoridades belgas por suspeita de terrorismo, foi revistada pela polícia durante esta noite. 

Nível de alerta terrorista mantém-se 

Não obstante o incidente de ontem, o primeiro-ministro belga, Charles Michel, decidiu não aumentar o nível de alerta terrorista. Ainda que tenha afirmado que "um atentado terrorista foi evitado na Gare Centrale", afirmou também que o país não se podia deixar "intimidar pelo terrorismo".

Consequentemente, o nível de alerta mantém-se no grau 3 ("ameaça possível e provável"), numa escala de 4 graus.

De realçar que a capital belga sofreu um atentado a 22 de Março de 2016, quando alguns indíviduos explodiram-se no metro e no aeroporto de Bruxelas, tendo feito 32 mortos.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.