Acesso ao principal conteúdo
Política /Coreia do Sul

Tensão e manobras militares de Estados Unidos e Coreia do Sul

O Presidente da Coreia do Sul , Moon Jae-in, durante o seu discurso do Setagésimo Segundo aniversário da Independência da Coreia  após  a ocupação  japonesa .Seul.15 de Agosto de 2017
O Presidente da Coreia do Sul , Moon Jae-in, durante o seu discurso do Setagésimo Segundo aniversário da Independência da Coreia após a ocupação japonesa .Seul.15 de Agosto de 2017 Reuters/路透社
Texto por: RFI
4 min

Com em pano de fundo os exercícios militares conjuntos do Japão e dos Estados Unidos em Eniwa, o Presidente Donald Trump saudou a decisão tomadsa pela Coreia do Norte de não efectuar testes de mísseis balísticos direccionados para a base americana da ilha de Guam, situada na região do Pacífico. Trump tinha considerado inaceitável a decisão anteriormente tomada pelo líder norte-coreano? Kim Jong-un. Pyongyang também qualificou de irresponsável a decisão mantida por Washington de realizar as anuais manobras militares com Seul, na Península Coreana.

Publicidade

Perante o clima de tensão que caracteriza a Península Coreana, com a recente escalada verbal entre Washington e Pyongyang, as autoridades norte-coreanas, consideraram há uma semana que o responsável seria, os Estados Unidos e a Coreia do Sul, não realizar os seus exercícios militares anuais conjuntos.

Está em curso a manobra conjunta, Northern Viper 20174 com o Japão na ilha de Hokkaido ,em que participam 1.300 militares japoneses e 2000 americanos.De acordo com o Ministério da Defesa do Japão, este primeiro exercício americano-japonês em Hokkaido, não tem nenhuma relação com a ameaça norte-coreana de lançar mísseis na proximidade da ilha de Guam, na qual se encontra uma das bases americanas do Pacífico.

 

Não obstante a ensão que prevalece na Península Coreana, a Coreia do Sul e os Estados Unidos decidiram manter os seus exercícios militares conjuntos anuais,previstos de 21 à 31 de Agosto. A Coreia do Norte criticou a decisão americana e sul-coreana, e os analistas consideram que dado o clima de desconfiança e suspeita actual na região, os antagonistas poderão reagir de maneira excessiva.

 

Denominado Ulchi-Freedom, o exercício foi previsto de longa data.Segundo as autoridades de Washington e Seul, é uma forma de dissuasão contra uma  eventual agressão norte-coreana.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.