Acesso ao principal conteúdo
ONU

António Guterres propõe mediação entre a Coreia e os Estados Unidos

António Guterres, o secretário-geral das Nações Unidas
António Guterres, o secretário-geral das Nações Unidas REUTERS/Stephanie Keith
Texto por: RFI
3 min

António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas afirmou ontem à imprensa estar pronto a assumir um papel de mediador na crise diplomática entre os Estados Unidos e Coreia do Norte. Numa fase de acalmia nas tensões entre os dois países, esta tomada de posição de Guterres seria o primeiro engajamento concreto da ONU para resolver este conflito.

Publicidade

O secretário-geral das Nações Unidas António Guterres deu ontem, dia 16 de Agosto, uma conferência de imprensa em Nova Iorque com uma mensagem determinada sobre o seu papel de mediador na crise entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte.

Numa altura em que as tensões entre os dois países parecem conhecer uma acalmia, Guterres afirmou estar pronto a assumir responsabilidade para resolver este conflito bilateral. As afirmações do secretário-geral das Nações Unidas são uma novidade na história da ONU já que o seu predecessor, o sul-coreano Ban Ki-moon nunca conseguiu cumprir tal promessa.

António Guterres, que tinha acabado de regressar de férias na Croácia, falou aos jornalistas na sede das Nações Unidas, explicando que o organismo está disposto a ajudar os quatro países envolvidos, directa ou indirectamente, ou seja a China, a Rússia, o Japão e a Coreia do Norte.

Desde que tomou posso esta é a segunda vez que o secretário-geral da ONU toma uma posição pública e convoca uma conferência de imprensa. A sua decisão é uma consequência directa de uma resolução votada por unanimidade pelos 15 membros do Conselho de Segurança que há duas semanas atrás resolveram sancionar a Coreia do Norte e relançar o processo de paz.

Os meus préstimos estão sempre à disposição e enviei uma mensagem aos representantes das seis partes envolvidas. A solução para esta crise tem de ser política. As consequências potenciais de uma acção militar são horrorosas só de pensar nelas", afirmou Guterres, que defendeu ser altura de reduzir a retórica e reforçar a diplomacia.

No entanto, António Guterres não comunicou nenhuma informação sobre as reacções das autoridades norte-coreanas ou americanas sobre sua proposta. Se der certo, esta mediação representaria o primeiro passo concreto do novo secretário-geral nesta crise diplomática.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.