Acesso ao principal conteúdo
Coreia do Norte

Rússia denuncia "histeria militar" de Washington contra Pyongyang

Presidente russo Putin e seu chefe da diplomacia ao lado da Coreia do Norte
Presidente russo Putin e seu chefe da diplomacia ao lado da Coreia do Norte Reuters
Texto por: João Matos
4 min

A reunião do Conselho de segurança da ONU, desta segunda-feira, sobre novas sanções mais severas contra a Coreia do norte, ainda não resultou em nada, tendo em conta que a Rússia e a China, parecem não estar muito inclinadas a votar a resolução.  Se virmos para as denúncias do chefe da diplomacia russa e do presidente russo, Putin, contra a "escalada militar" dos Estados Unidos, será muito difícil a adopção dessas sanções. Do seu lado, o presidente Donald Trump, anunciou venda de armas sofisticadas ao Japão e à Coreia do Sul para se defenderem.

Publicidade

O chefe da diplomacia russa, Sergueï Lavrov, apelou esta terça-feira, (5) Washington à "retenção" e rejeitou qualquer opção militar para resolver a crise com a Coreia do Norte, durante uma conversa telefónica com o seu homólogo americano, Rex Tillerson.

Um comunicado ministério russo dos Negócios estrangeiros, sublinha que o ministro Lavrov, mostrou-se claramente contra qualquer "escalada militar das tensões militares na Ásia do nordeste, defendo o recurso a meios políticos e diplomáticos.

Por seu lado, num discurso mais duro, o presidente russo, Vladimir Putin, denunciou uma “histeria militar" dos Estados unidos para conter o regime de Kim Jong-un, agitando a "ameaça duma catástrofe planetária", tendo em conta que os Estados unidos evocaram a possibilidade de uma resposta militar de massa contra a Coreia do Norte, que anunciou no domingo dispor de bomba de hidrogénio.

Do seu lado, a Coreia do Norte, que se sente mais forte com este apoio da Rússia e também da China, continua com a sua política de provocação, anunciando hoje que o que enviou aos Estados Unidos, é um papel de embrulho de presente, que vai continuar enquanto Washington prosseguir com "provocações imprudentes para pressionar" os norte-coreanos.

Enfim, o presidente americano, Donald Trump, tuítou hoje ter autorizado ao Japão e à Coreia do sul a comprar armas americanas ultrassofisticadas para se defenderem de possível ataque da Coreia do Norte.

João Matos sobre posição russa pró-Coreia do norte

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.