Madrid / Barcelona

Madrid avisa que a crise catalã custará muito caro

O porta-voz do governo espanhol, Íñigo Méndez de Vigo, evocando a crise da Catalunha. Madrid, 19 de Outubro de 2017.
O porta-voz do governo espanhol, Íñigo Méndez de Vigo, evocando a crise da Catalunha. Madrid, 19 de Outubro de 2017. Fuente: Reuters.

O Governo espanhol advertiu hoje, de novo, que a crise da Catalunha vai custar muito caro à Espanha, enquanto a detenção de oito ministros catalães, destituídos desse cargo, reacendia o fervor dos independentistas, que voltaram a manifestar, diante do Parlamento catalão, em Barcelona.

Publicidade

Em conferência de imprensa, à saida do Conselho de Ministros, o porta voz do Governo, Inigo Mendez, advertiu hoje que o Governo espera restabelecer a estabilidade na Catalunha, para evitar consequências económicas prejudiciais para essa região.

Inigo Mendez sublinhou que o turismo, que representa 12% do PIB da Catalunha, já sofreu um impacto negativo, depois do referendo de autodeterminação proibido por Madrid : A taxa de ocupação dos hotéis, passou de 83%, em fins de Outubro, para 67%, neste momento, e muitos hotéis tiveram de baixar os preços, para atrair clientes. 

Desde que começou a crise entre Madrid e Barcelona, o Governo espanhol tem prevenido regulamermente que as consequências económicas serão graves. Para já, mais de 2.000 grandes empresas transferiram as respectivas sedes para fora da região, e já começaram a sentir-se pequenas modificações a nível do emprego.

Entretanto, a encarceração de oito ministros catalães - que tinham sido destituídos das suas funções - e o espectro dum mandado de captura contra Carles Puigedmont, reavivou a febre independentista, e milhares de manifestantes vieram hoje de novo para a rua, em Barcelona, exigir a independência da Catalunha.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI