Acesso ao principal conteúdo
Turquia

Turquia: Purga faz mais vítimas

Recep Tayyip Erdogan, Presidente da Turquia.
Recep Tayyip Erdogan, Presidente da Turquia. Kayhan Ozer/Presidential Palace/Handout via REUTERS
Texto por: Marco Martins
3 min

O governo turco despediu mais de 2 700 pessoas que trabalhavam em instituições públicas devido a alegadas ligações a organizações terroristas.

Publicidade

A Turquia prossegue a purga iniciada após a tentativa falhada de golpe de Estado em 2016 com o despedimento de 2 756 pessoas que foram afastadas dos respectivos cargos em diferentes instituições públicas, nomeadamente nos Ministérios do Interior, Negócios Estrangeiros e Defesa, isto segundo um decreto publicado no jornal oficial turco.

O alvo preferencial das autoridades têm sido os militares e os funcionários universitários. Desta vez foram despedidos 637 militares e 105 funcionários universitários.

A purga continua a fazer cada vez mais vítimas, isto após o golpe de Estado falhado que ocorreu a 15 de Julho de 2016. Foi a partir desse momento que o Governo de Ancara deu início a uma purga nos diversos organismos estatais e sectores da sociedade turca. De notar que as forças militares foram um alvo preferencial com a detenção de milhares de elementos, entre os quais centenas de generais.

Recorde-se também que o estado de emergência, que já foi renovado cinco vezes, a última vez em outubro deste ano, continua em vigor no país.

Ouça a Crónica sobre a Turquia.

Crónica de Marco Martins

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.