Acesso ao principal conteúdo
Mundo

Malta recebe desembarque do navio Aquarius

Migrantes da Eritreia e da Somália resgatados pelo navio Aquário
Migrantes da Eritreia e da Somália resgatados pelo navio Aquário Reuters
Texto por: RFI
1 min

Lisboa vai acolher 30 dos 244 migrantes que se encontram a bordo do navio humanitário Aquarius e em outras pequenas embarcações que estão a atracar hoje em Malta. O governo maltês autorizou o navio humanitário, com 141 migrantes a bordo, a atracar na sua costa.

Publicidade

Eduardo Cabrita, ministro português da Administração Interna, confirma a disponibilidade de Lisboa em acolher 30 dos 244 migrantes que se encontram a bordo do navio humanitário Aquarius e em outras pequenas embarcações que estão a atracar hoje em Malta.

A maioria dos imigrantes a bordo do Aquarius "são menores de idade e 70% são naturais da Somália e da Eritreia, mas também há cidadãos do Bangladesh, Camarões, Gana, Costa do Marfim, Nigéria, Marrocos e Egipto", descreveu Eduardo Cabrita.

O governo maltês vai por fim ao impasse europeu sobre quem deveria aceitar o desembarque do navio, que navega nas águas do Mediterrâneo. Malta aceita que o navio humanitário Aquarius atraque num dos seus portos e desembarque os 141 migrantes resgatados na costa da Líbia.

"Malta servirá como base logística e todos os 141 migrantes a bordo e serão distribuídos entre França, Alemanha, Luxemburgo, Portugal e Espanha", avança em comunicado o governo maltês.

114 migrantes foram resgatados no mar e levados para Malta. Sessenta vão ser distribuídos entre outros estados membros da União Europeia.

Eduardo Cabrita, ministro português da Administração Interna

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.