Mundo

Brexit: cimeira em Bruxelas para fazer um ponto de situação

Sede da Comissão europeia em Bruxelas.
Sede da Comissão europeia em Bruxelas. REUTERS/Francois Lenoir

Os chefes de Estado e de governo da UE iniciam esta quarta uma cimeira de dois dias condenada a não ser "o momento de verdade", mas sim uma antevisão de um cenário de ausência de acordo para o Brexit.

Publicidade

O chefe dos negociadores da União Europeia (UE) para o Brexit, Michel Barnier, propôs a prorrogação por um ano do período de transição que vai começar assim que o Reino Unido deixar o bloco europeu, com o objectivo de desbloquear as negociações.

Michel Barnier afirmou na terça-feira à noite aos ministros das Relações Exteriores da UE que "uma das opções é ampliar a fase de transição por um ano", ou seja, até 31 de Dezembro de 2021, para ganhar mais tempo para negociar o acordo comercial, informaram duas fontes diplomáticas à Agência France-Presse.

A proposta - que o gabinete de Barnier se recusou a comentar - pretende ganhar tempo para resolver a questão da fronteira entre Irlanda e a província britânica da Irlanda do Norte, principal obstáculo das discussões, de acordo com as mesmas fontes.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, deve desembarcar durante a tarde em Bruxelas para um rápido discurso aos governantes da UE, que mais tarde se vão reunir num jantar de trabalho.

A esperança inicial por uma solução durante a cimeira - considerado até agora como a "hora da verdade", a menos de seis meses da saída do Reino Unido da UE, prevista para 29 de Março de 2019 - ficou pelo caminho.

Apesar da "determinação" observada dos dois lados, a situação não permite o optimismo, destacou na terça-feira o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, que tem uma reunião prevista com Theresa May esta tarde.

"Para que aconteça um avanço, além de boa vontade, precisamos de factos novos. Perguntarei a Theresa May se tem propostas concretas para conseguirmos sair da estagnação", afirmou o dirigente polaco.

"Precisamos de algo realmente criativo para proteger nossos valores, para proteger nosso mercado único e, ao mesmo tempo, para respeitar completamente o Reino Unido e sua soberania", completou Donald Tusk.

"May está impaciente para ter uma conversa cara a cara com Donald Tusk em Bruxelas, apesar de já ter revelado sua posição", respondeu o porta-voz da chefe de Governo britânica.

Diante dos 27 países da UE, Theresa May poderá afirmar o compromisso de Londres para chegar a um acordo o mais rápido possível, completou o porta-voz.

No domingo, apesar da visita surpresa a Bruxelas do ministro para o Brexit, Dominic Raab, o diálogo não trouxe resultados.

A questão de como evitar o retorno de uma fronteira clássica entre a província britânica da Irlanda do Norte e sua vizinha Irlanda, preservando por sua vez o acordo de paz da Sexta-Feira Santa de 1998, continua a ser o principal problema.

Peça com declaração de Angela Merkel

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI