Acesso ao principal conteúdo
Mundo

Paris solidário com Washington

Presidente francês, Emmanuel Macron, com homólogo norte-americano, Donald Trump
Presidente francês, Emmanuel Macron, com homólogo norte-americano, Donald Trump ludovic MARIN / POOL / AFP
Texto por: Lígia ANJOS
2 min

O Presidente francês, Emmanuel Macron, manteve uma conversa telefónica este domingo com o homólogo norte-americano sobre as tensões no Médio Oriente. Paris afirmou estar "solidário" com Washington. Este fim-de-semana, o secretário de Estado norte-americano Mike Pompeu repreendeu os parceiros europeus pela falta de apoio aos Estados Unidos.

Publicidade

Paris anunciou, com algum incómodo, apoiar os Estados Unidos da América. Ao decidir eliminar o general iraniano Qassem Soleimani, Donald Trump fez uma escolha perigosa. O seguimento dos acontecimentos não prevêm nada de bom.

O inquilino da Casa Branca, não ouviu ninguém. Desde a sua eleição tem ampliado as tensões com o Irão. Em Maio de 2018, Donald Trump anunciava a retirada dos Estados Unidos do acordo de Viena de 2015 quando ao nuclear e restabelecia as sanções económicas contra o Irão. Os norte-americanos voltam-se hoje para os seus aliados tradicionais. Esperam dos parceiros europeus, entre os quais a França, um apoio infalível.

As relações entre Paris e Washington são fortes, apesar da posição delicada do Eliseu, dividida pela necessidade de apoiar o aliado histórico americano e contrariado por Trump que "brinca ao aprendiz feiticeiro", com consequências que podem ser caóticas. O Presidente francês tinha tomado a iniciativa de convidar o ministro iraniano dos Negócios Estrangeiros, Mohammad Javad Zarif que tinha sido recebido por Emmanuel Macron e Jean-Yves Le Drian durante a última cimeira G7, em Biarritz em Agosto de 2019.

Em Novembro o tom tinha mudado. Lançando um apelo para aliviar as sanções, Emmanuel Macron qualificou "uma mudança profunda" quanto às novas disposições iranianas sobre o acordo. O Irão tinha anunciado voltar a lançar a actividade de enriquecimento de urânio. Além disso, dois investigadores, Roland Marchal e a franco-iraniana Fariba Adelkhah encontram-se detidos no Irão.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.