Acesso ao principal conteúdo
Convidado

Plano de Paz Trump/Netanyahu para o Médio Oriente "viola o direito internacional"

Áudio 09:57
Presidente dos Estados Unidos Donald Trump e Primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu na Casa Branca a 28/01/20, durante a apresentação do plano de paz americano para o Médio-Oriente.
Presidente dos Estados Unidos Donald Trump e Primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu na Casa Branca a 28/01/20, durante a apresentação do plano de paz americano para o Médio-Oriente. REUTERS/Joshua Roberts

O Plano de Paz para o conflito israelo-palestiniano anunciado esta terça-feira (28/01) pelo Presidente Donald Trump e pelo primeiro ministro israelita Benjamin Netanyahu, é segundo José Goulão, analista português especialista no Médio Oriente, um "plano para liquidar o problema palestiniano através de imposição e se necessàrio da força".Os palestinianos não participaram neste chamado Acordo do Século, que exclui um diálogo directo entre os beligerantes, limitando-se a "impor posições", pois o que este plano implica é a "violação do direito internacional, substituído pelo poder da força", segundo José Goulão.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.