Médio Oriente

Abbas rejeita plano de paz americano no Conselho de Segurança

O Presidente da alta autoridade palestiniana, Mahmud Abbas, no Conselho de Segurança da ONU nesta terça-feira 11 de Fevereiro , em 11 de fevereiro de 2020.
O Presidente da alta autoridade palestiniana, Mahmud Abbas, no Conselho de Segurança da ONU nesta terça-feira 11 de Fevereiro , em 11 de fevereiro de 2020. REUTERS/Shannon Stapleton

O Presidente da alta autoridade palestiniana, Mahmud Abbas, declarou hoje solenemente no Conselho de Segurança da ONU rejeitar o plano de paz para o Médio Oriente apresentado na passada quinta-feira pelo Presidente americano Donald Trump, um plano que os palestinianos consideram demasiado favorável aos israelitas.  

Publicidade

"Rejeitamos o plano de paz israelo-palestiniano que coloca em questão os direitos legítimos dos palestinianos," lançou Mahmud Abbas sublinhando que neste documento está previsto que "o leste de Jerusalém não faça parte da Palestina" e que "isto é suficiente para recusar este plano", um plano que segundo vincou também Abbas, iria fazer da Palestina "um Estado fragmentado" sem controlo aéreo nem marítimo.

"Quem entre vós aceitaria um Estado nestes moldes?" perguntou por fim o Presidente da alta autoridade palestiniana aos representantes dos 15 Estados-membros do Conselho de Segurança, chegando a falar em situação de "Apartheid".

Esta tomada de posição acontece cinco dias dias depois de Donald Trump ter apresentado o plano esboçado pelo seu genro e conselheiro, Jared Kushner, um roteiro assente sobre o princípio da existência de dois Estados, mas em que Israel teria como capital Jerusalém e abarcaria igualmente no seu território o vale do Jordão, ocupado desde 1967, bem como os colonatos na Cisjordânia, isto num contexto em que a Palestina seria um Estado desmilitarizado.

Inaceitável para os cerca de 5 mil palestinianos que manifestaram hoje na Cisjordânia e dos outros 2 mil que desfilaram igualmente na faixa de Gaza para marcar o seu apoio a Mahmud Abbas que hoje no Conselho de Segurança teve de rever as suas ambições. Inicialmente a deslocação de Abbas a Nova Iorque tinha por intuito pedir o voto de uma resolução rejeitando o plano americano. Segundo diplomatas, diante da falta de apoios e fortes pressões americanas sobre os países membros do Conselho de Segurança, a iniciativa foi abortada.

Mais pormenores aqui.

Abbas rejeita plano de paz americano no Conselho de Segurança

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI