Economias

Coronavírus faz primeira vítima na economia

Áudio 05:18
A companhia aérea britânica FlyBe anunciou esta quinta-feira falência na sequência do coronavírus.
A companhia aérea britânica FlyBe anunciou esta quinta-feira falência na sequência do coronavírus. © Wikimedia Commons

O Coronavirus continua a alastrar e a provocar vitimas. Humanas, mas também na economia. A companhia aérea britânica FlyBe entrou em falência na sequência do surto. Paulo Soares, professor da pós-graduação de transportes aéreos da Faculdade de Direito de Lisboa analisa a situação crítico do sector.

Publicidade

A companhia aérea britânica FlyBe foi a primeira a sucumbir, esta quinta-feira, à crise que o coronavírus está a provocar no sector, ainda que a sua situação fosse já frágil, visto que no início do ano foi resgatada do quase colapso com os accionistas a concordarem em investirem mais dinheiro juntamente com o apoio do governo britanico.

Face às quebras nas reservas, a companhia aérea portuguesa TAP também anulou cerca de mil voos para março e abril, as contratações foram suspensões e os investimentos não críticos travados.

Paulo Soares, professor da pos graduação de transportes aéreos da Faculdade de Direito de Lisboa, considera que se está a viver uma das situações mais críticas no sector da aviação e não tem dúvidas de que companhias aéreas de todo o espaço lusófono serão afectadas, já que hoje em dia funcionam em rede.  

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI