Acesso ao principal conteúdo
Artes

"O que perdi em estômago, ganhei em coração"

Áudio 07:49
Gisela Casimiro, escritora e artista plástica
Gisela Casimiro, escritora e artista plástica © Luís Guita
Por: Luís Guita
10 min

Está patente em Lisboa, no espaço o Armário, em Lisboa, a exposição individual de Gisela Casimiro "O que perdi em estômago, ganhei em coração". A instalação surge a partir do seu livro de poesia Erosão, no âmbito do projecto quéréla de Ana Cristina Cachola.

Publicidade

Aviso, atenção ao intervalo entre a ignorância e o racismo" é a mensagem que se faz ouvir de forma incessante na instalação sonora que nos recebe na exposição “O que perdi em estômago ganhei em coração” da artista Gisela Casimiro.

Integrada no projeto “quéréla”, a artista, escritora e actvista, que nasceu na Guiné-Bissau e vive em Lisboa, apresenta, a partir do livro de poesia “Erosão”, onde aborda temas como o racismo, o corpo ou o terrorismo, a primeira exposição individual.

Em “O que perdi em estômago ganhei em coração”, a poesia de Gisela Casimiro ganha um outro corpo, outra dimensão.

O projeto "quéréla", da curadora Ana Cachola, que tem preocupações éticas e estéticas e pretende analisar as tensões contemporâneas, identifica-se como um projeto que tem a ver com o querer das mulheres, que apresenta mulheres artistas feministas.

Gisela Casimiro, escritora e artista, nasceu em 1984 na Guiné-Bissau. Tem formação em Estudos Portugueses e Ingleses, é cronista do jornal Hoje Macau, colaboradora do portal BUALA e da revista Decadente. Tem colaborado com diversas publicações nacionais e internacionais. Em 2018 publicou o livro de poesia Erosão, pela Urutau.

A sua obra fotográfica “Museu Pessoal” fez parte de mostras colectivas organizadas pela DJASS (2018) e pela Associação Portuguesa de Antropologia (2019).

Em teatro, participou em Longo Curso (2016), ATLAS Lisboa (2017), Fausto (2018) e A Paixão Segundo São Mateus (2019). É Directora do departamento de Cultura do INMUNE - Instituto da Mulher Negra em Portugal. Detesta biografias. Adora estendais. "

A exposição pode ser vista no espaço O Armário, em Lisboa, até 22 de Abril.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.