Acesso ao principal conteúdo
Brasil/Relações internacionais

Brasil :fronteiras encerradas e crise diplomática com Pequim após acusações

O  presidente  Jair Bolsonaro e  o embaixador da Cinha no Brasil, Yang Wanming,no  Palácio do Planalto em Brasília, no dia 8 de Março de 2019.
O presidente Jair Bolsonaro e o embaixador da Cinha no Brasil, Yang Wanming,no Palácio do Planalto em Brasília, no dia 8 de Março de 2019. AFP
Texto por: RFI
5 min

O Brasil anunciou na quinta-feira que a partir de segunda,dia 23 de Março, as suas fronteiras serão encerradas aos nacionais europeus, da Austrália, bem como de alguns países asiáticos, de forma lutar contra a pandemia de coronavírus. 

Publicidade

As restrições decretadas pelas autoridades brasileiras, serão válidas durante um mês e aplicam-se aos passageiros de voos provenientes da União Europeia, Reino Unido, Islândia, Noruega e Suíça, assim como da China, Japão, Coreia do Sul, Austrália e Malásia, que não tenham residência no Brasil ou uma justificação profissional ou familiar para entrar no país sul-americano.

O Ministério da Justiça, chefiado pelo ex-juiz Sérgio Moro, na origem do decreto, não explicou porquê que restrições idênticas não foram aplicadas aos Estados Unidos, país onde existem mais de 10.000 casos de coronavírus e 153 mortos foram confirmados.

Em contrapartida os brasileiros que regressarem ao país, bem como nacionais estrangeiros residentes no Brasil, serão autorizados a entrar no território.

Estas últimas medidas aplicam-se aos funcionários de organismos internacionais em missão no Brasil, assim como pessoas devidamente autorizadas pelo governo brasileiro.

Saliente-se que na quinta-feira, o deputado federal e filho do chefe de Estado brasileiro, Eduardo Bolsonaro ao acusar a China de dissimular informações sobre o Covid-19 como o fizera a ex-União Soviética com a tragédia nuclear de Tchernobil em 1986, desencadeou uma crise diplomática entre Brasília e o gigante asiático.

Geng Shuang, porta-voz da diplomacia chinesa qualificou as declarações do filho do Presidente brasileiro de imorais e irresponsáveis.

Em resposta as acusações ao deputado Eduardo Bolsonaro,ligado aos movimentros da extrema-direita americana,o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, exigiu através das redes sociais na quinta-feira, que o filho do presidente brasileiro apresentasse desculpas ao povo chinês.O diplomata chinês disse que Eduardo Bolsonaro tinha apanhado um vírus que infectou a amizade entre os povos da China e do Brasil. Wanming chegou a reproduzir um tweet de um internauta, que qualificava a família Bolsonaro de grande veneno do Brasil, tendo em seguido apagado o mesmo considerado pouco diplomático.

O Ministro das Relações Exteriores brasileiro , Ernesto Araújo, afirmou que as acusações de Eduardo Bolsonaro, de 35 anos,não reflectem a posição do Brasil. Araújo estimou contudo inaceitável que o embaixadorda China tivesse partilhado uma mensagem ofensiva para o chefe de Estado brasileiro e os seus eleitores.

Brasil:fronteiras encerradas e crise diplomática com Pequim após acusações sobre coronavírus

    

           

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.