Acesso ao principal conteúdo
Brasil

Morreu escritor brasileiro Rubem Fonseca aos 94 anos

O escritor brasileiro Rubem Fonseca faleceu aos 94 anos de idade.
O escritor brasileiro Rubem Fonseca faleceu aos 94 anos de idade. © https://www.instituto-camoes.pt/
Texto por: RFI
2 min

Morreu ontem no Rio de Janeiro, o escritor brasileiro Rubem Fonseca aos 94 anos de idade na sequência de um enfarte, informou a sua família. Galardoado com o prémio Camões em 2003, maior prémio literário lusófono, seis vezes com o Prémio Jabuti, o principal galardão da literatura, no Brasil e em 2015, igualmente com o Prémio Machado de Assis, da Academia Brasileira de Letras (ABL), pelo conjunto da sua obra, Rubem Fonseca foi autor de uma dezena de romances e de cerca de 15 livros de contos.

Publicidade

Nascido no dia 11 de Maio de 1925 em Juiz de Fora, no Estado de Minas Gerais, no seio de uma família oriunda de Trás-os-Montes, em Portugal, o primeiro contacto de Rubem Fonseca com a literatura faz-se através da biblioteca paterna exclusivamente composta por autores portugueses.

Contudo, apesar de escrever desde os 17 anos, só mais tarde, depois de estudos de direito e de um percurso de seis anos como especialista em psicologia criminal na polícia civil do Rio de Janeiro é que Rubem Fonseca vai lançar-se numa carreira literária quase aos 40 anos, estreando-se com «os prisioneiros» em 1963, um livro composto por onze contos cruéis e subversivos confiscado pelas autoridades.

Outras obras marcadas, como a primeira, por narrativas retratando essencialmente a violência urbana no Brasil, num estilo cru e irónico valer-lhe-ão a censura por parte das autoridades. Entre as numerosas obras publicadas, destacam-se "O Caso Morel" (1973), "Feliz Ano Novo" (1976), "O Cobrador" (1979), "A Grande Arte" (1983) e sobretudo Agosto (1990), vista como sendo a sua obra-prima.

Muito cedo considerado pela crítica como sendo "o maior contista brasileiro da segunda metade do século XX", o autor foi hoje homenageado por muitos dos seus pares, nomeadamente pelo escritor angolano José Eduardo Agualusa que nas redes sociais escreveu «Rubem Fonseca foi importante para a minha formação enquanto escritor. Tenho todos os livros dele e continuarei a lê-lo, como sempre o leio quando preciso de me sentir inquieto para escrever. Escritores morrem quando deixam de ter leitores. Rubem continuará a ter leitores".

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.