Coronavírus

Covid-19/Nuno Marques: «Governo norueguês vai abrir as escolas na segunda-feira»

Erna Solberg, Primeira-ministra norueguesa (esquerda), e Emmanuel Macron, Presidente francês (direita) em Fevereiro de 2018. Imagem de Ilustração.
Erna Solberg, Primeira-ministra norueguesa (esquerda), e Emmanuel Macron, Presidente francês (direita) em Fevereiro de 2018. Imagem de Ilustração. © AFP - IAN LANGSDON

A Noruega tem “o vírus controlado” afirmou Erna Solberg, Primeira-ministra do país. Em consequência as autoridades norueguesas vão reduzir as medidas implementadas para controlar a propagação do novo coronavírus, abrindo as escolas a partir desta segunda-feira 20 de Abril.

Publicidade

O território norueguês conta actualmente com 6 937 casos confirmados de Covid-19 e com 161 mortes. Após várias semanas com algumas restrições, as autoridades decidiram levantar uma das principais dentre elas : abrir as escolas.

Impensável em certos países, a Noruega segue o exemplo de outros países como a vizinha Dinamarca onde as restrições foram reduzidas.

A Noruega nunca esteve em confinamento total, mas aconselhava-se, como em toda a Europa, às pessoas a ficarem em casa.

No entanto as saídas nunca foram proibidas nem controladas. As escolas fecharam, o distanciamento social era imperativo, e as deslocações para residências secundárias também não eram autorizadas.

A partir de 20 de Abril, e progressivamente, as restrições vão ser levantadas. Os infantários vão abrir nesta segunda-feira, e a 27 de Abril deverá ser a vez dos colégios, dos liceus e das universidades.

Outros empregos vão poder voltar ao trabalho como os fisioterapeutas, os psicólogos, os cabeleireiros ou ainda os dermatologistas.

No entanto os eventos desportivos e culturais continuam a ser proibidos, as fronteiras ainda estão encerradas e continua a ser aconselhado trabalhar de casa, entre outras medidas.

Para Nuno Marques, vice-presidente da Câmara Municipal de Notodden, no Sul do país, as medidas tomadas são as melhores para a população norueguesa, lembrando que a Noruega tem sido “um caso à parte” na Europa.

Penso que é uma medida certa. É gradual, nem todos os serviços vão estar abertos mas as escolas vão começar a abrir a partir de segunda-feira. Penso que para a realidade norueguesa, para a cultura, para o tipo de país que é, uma sociedade muito digitalizada, é uma medida adequada. Mas claro tendo em mente os cuidados e seguir as directrizes e as regras do nosso Governo e dos especialistas da saúde”, frisou o político de 39 anos.

Nuno Marques realçou que no país não houve um confinamento total:Não houve um confinamento total, não houve restrições como existiram no Sul da Europa, Como em Portugal, em França, em Espanha e Itália. As escolas fecharam, nem todos os restaurantes fecharam, a maior parte das lojas continuam abertas com horário reduzido, portanto não houve […] as pessoas terem que se manter em casa. As pessoas têm tido uma vida não muito diferente daquela que já levavam”, indicou o cidadão português a viver na Noruega.

O vice-presidente da Câmara Municipal de Notodden, no Sul do país, confirmou que a população sente que o Governo está a controlar a doença:Sentimos que a situação está, de certa maneira, controlada na Noruega aliás a Noruega foi sempre um caso à parte. Há dez anos atrás, a crise financeira pouco afectou a Noruega e a economia norueguesa. Já é uma questão cultural das pessoas serem confiantes, optimistas, e têm levado as suas vidas dentro da normalidade e poucas diferenças têm existido com a vida que levavam há dois meses atrás”, concluiu o antigo futebolista.

De referir que Nuno Marques, antigo futebolista, é vice-presidente da Câmara Municipal de Notodden representando o Partido Senterpartiet.

 

Nuno Marques, vice-presidente da Câmara Municipal de Notodden

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI