Acesso ao principal conteúdo
ONU/Relações Internacionais

António Guterres diz que vacina contra Covid-19 terá de ser bem público mundial

O Secretário Geral das Nações Unidas, António Guterres considera que uma futura vacina contra a Covid-19 é  um bem público mundial.
O Secretário Geral das Nações Unidas, António Guterres considera que uma futura vacina contra a Covid-19 é um bem público mundial. REUTERS/Lisi Niesner
Texto por: RFI
6 min

O secretário-geral da ONU, António Guterres, concedeu uma entrevista ao correspondente da rfi na capital do Mali, Serge Daniel. Para o antigo Primeiro-ministro português é imprescindível garantir que uma vacina contra a Covid-19 seja acessível a todos. No que diz respeito ao chá malgaxe Covid Organics ele remeteu o caso para testes a serem feitos pela OMS e afirma, que a lentidão da progressão da pandemia em África é a prova de que o continente soube reagir atempadamente.

Publicidade

Vários países prosseguem as suas pesquisas para descobrir um tratamento eficaz ou então uma vacina contra a Covid-19, cuja pandemia provoca a primeira grande crise sanitária do século XXI.  

Segundo o director dos Institutos Nacionais de Saúde americanos,Francis Collins, se os Estados Unidos for o primeiro país a desenvolver uma  vacina  contra o novo coronavírus,ele tem por dever partilhá-la rapidamente com o resto do mundo.

A postura de Collins contrasta com o discurso do Presidente  Donald Trump, para quem, em caso de descoberta de uma vacina eficaz pelos Estados Unidos, a prioridade deve ser dada à população americana.

Francis Collins realçou a necessidade de disponibilizar a vacina para regiões do mundo como a África e a América do Sul,onde o Brasil é o país mais severamente afectado pela epidemia.       

No decurso da setagésima terceira assembleia anual da Organização Mundial de Saúde, que encerrou no dia 19 de Maio, a  maioria dos Estados membros da  agência da ONU, com destaque para a China e os países da União Europeia chegaram ao consenso, segundo o qual uma vacina contra a Covid-19 não deve ser submetida aos cânones comerciais,mas ser considerada um bem público mundial, como o afirmaram o Presidente francês Emmanuel Macron e o seu homólogo chinês, Xi Jinping.

O Secretário Geral das Nações Unidas, António Guterres,  defende também a universalidade do tratamento contra a doença provocada pelo vírus Sars-Cov2.

Numa entrevista concedida à RFI, por ocasião da sua visita ao Mali,  Guterres sublinhou que transformar uma futura vacina contra Covid-19 num produto comercial para ricos seria uma injustiça.                   

 

António Guterres, secretário geral da ONU

 

"Devemos sobretudo evitar um mecanismo que transforme a vacina num produto comercial, no qual é o  poder financeiro quem decide do acesso  a  um  bem  público global.

Evidentemente, se a  produção se tornar uma  exclusividade do país que inventar uma vacina, com um preço estabelecido por razões comerciais, naturalmente que isso será uma profunda injustiça. E tal significa que só os ricos, e os ricos dos países ricos terão provavelmente acesso a vacina.  É uma situação intolerável.

No que diz respeito ao Covid Orgnaics (chá malgaxe),todos os tratamentos, seja qual for a sua origem, devem ser objecto de um teste e a Organização Mundial de Saúde dispõe da capacidade para fazê-lo. E logo que o teste se revelar eficaz, tudo deverá ser feito, para que o mesmo seja generalizado.   

A maioria dos governos africanos e das sociedades africanas, tomaram atempadamente medidas muito corajosas de prevenção, que aliás servem de lição para alguns países desenvolvidos que o não fizeram".

                                                                          

                                                              ( António Guterres, Secretário Geral das Nações Unidas)  

 

 O Secretário Geral da ONU, tem chamado igualmente a atenção da comunidade internacional para as consequências sociais e económicas da actual pandemia  em África.

António Guterres afirmou que devido à Covid-19, milhões de pessoas poderiam cair numa extrema pobreza. Guterres apelou a um movimento de solidariedade internacional para com o continente africano, destacando o facto de que a pandemia, desencadeada pelo novo coronavírus, ameaça os progressos realizados pela África, nas últimas décadas.

Nas suas recomendações, o Secretário Geral das Nações Unidas lançou um apelo à mobilização internacional, para que sejam reforçados os sistemas sanitários em África e mantidas as redes de abastecimento em alimentação.

António Guterres, destacou igualmente a necessidade de não deixar o continente africano mergulhar numa crise financeira, estimando que África precisa de mais de 200 mil milhões de dólares de apoio suplementar, para enfrentar as consequências da crise sanitária mundial.       

     

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.