Acesso ao principal conteúdo
Síria

Bashar al-Assad demitiu primeiro-ministro, a faltar um mês das eleições

Presidente sírio Bashar al-Assad, em Maio de 2019.
Presidente sírio Bashar al-Assad, em Maio de 2019. SANA / AFP
Texto por: Lígia Anjos com Lusa
2 min

Bashar al-Assad demitiu esta quinta-feira o primeiro-ministro do país a faltar um mês das eleições, num momento em que a crise económica e as revoltas populares crescem no país.

Publicidade

O Presidente sírio nomeou como primeiro-ministro interino o actual ministro dos recursos hídricos, Hussein Arnous, em substituição do demitido Imad Khamis, até às eleições de Julho e à formação de um novo governo.

A demissão acontece em plena crise económica, que tem levado a população a protestar nas ruas dos territórios controlados pelo governo em manifestações que não eram vistas desde os primeiros dias da guerra civil que destruiu o país na última década.

A moeda nacional, a libra síria, atingiu um mínimo histórico de 3000 libras por dólar, quando até à revolução de 2011 era transaccionada a 47 libras por dólar. O preço dos bens essenciais dispararam ou desapareceram dos mercados. Mais de 80% da população vive abaixo da linha da pobreza, os comerciantes lutam para conseguir acompanhar o aumento do custo de vida.

Este colapso económico acontece pouco antes da entrada em vigor de novas sanções dos Estados Unidos contra quaisquer entidades ou países que negociem com o governo de Bashar al-Assad.

As eleições legislativas, inicialmente previstas para Abril, foram adiadas para o mês de Julho, por causa da pandemia de Covid-19. A Síria tem oficialmente 152 casos e seis mortos provocadas pelo novo coronavírus, nas zonas do país controladas pelo governo.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.