Acesso ao principal conteúdo
Convidado

Marcas distanciam-se do racismo

Áudio 08:39
 Colin Kaepernick, jogador de futebol americano, manifestou-se contra o racismo policial durante a a execução do hino norte-americano num jogo da NFL, em 2016.
Colin Kaepernick, jogador de futebol americano, manifestou-se contra o racismo policial durante a a execução do hino norte-americano num jogo da NFL, em 2016. Getty/AFP/Archives

A morte de George Floyd, vítima de violência policial nos EUA, provocou um movimento anti-racista que chegou às empresas que habitualmente permanecem em silêncio quando se trata de questões de justiça social.

Publicidade

Pedro José-Marcellino, cineasta e analista político, afirma que no contexto actual esta postura era previsível.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.