Acesso ao principal conteúdo
Índia/Covid-19

Índia/Covid-19: quase 140 milhões de pessoas reconfinadas

Os passageiros que chegaram esta a 13 de Julho a Bangalore, provenientes do Estado vizinho de Tamil Nadu, submetidos a controlo sanitário no posto fronteiriço de  Karnataka.
Os passageiros que chegaram esta a 13 de Julho a Bangalore, provenientes do Estado vizinho de Tamil Nadu, submetidos a controlo sanitário no posto fronteiriço de Karnataka. AFP
3 min

Na Índia, terceiro país mais afectado no mundo pela pandemia de Covid-19 com quase um milhão de casos declarados, desde as 20 horas locais desta terça-feira 13 milhões de pessoas foram reconfinadas na megalópole de Bangalore no sul do país e a partir de amanhã serão os cerca de 125 milhões de habitantes do Estado de Bihar, no nordeste do país, que serão de novo confinados.

Publicidade

Estas duas regiões, respectivamente no sul e nordeste da Índia, tinham sido até agora relativamente pouco atingidas, no terceiro país mais afectado no mundo pela pandemia de Covid-19, com 23.727 óbitos e 906.752 casos declarados de Covid-19, mas os casos têm aumentado entre 5% e 10% nos últimos tempos.

Segundo analistas a amplitude da contaminação é sub-avaliada, sobretudo na região pobre do Estado de Bihar, no nordeste da Índia, terceiro Estado mais povoado do país, na fronteira com o Nepal, onde foram efectuados 60 vezes menos por habitante do que em Nova Deli, os dados oficiais indicam que o Estado de Bihar tem menos de 20.000 casos de Covid-19 e 150 óbitos, em cerca de 125 milhões de habitantes.

Em Bihar os hospitais públicos já sobrecarregados em tempo normal, estão superlotados e as autoridades temem uma verdadeira catástrofe sanitária, se o novo coronavírus se alastrar.

Daí a opção forte de encerrar a partir de quinta-feira (16/07) e durante 15 dias pelo menos, todos os comércios e escritórios, bem como muitos mercados e os transportes públicos vão parar em Bihar, sendo o primeiro Estado indiano onde foi imposto um reconfinamento contínuo em todo o seu território.

A mesma medida foi implementada na cidade de Pune, no oeste do país, segunda cidade do Estado de Maharashtra depois de Bombaím, é a oitava maior magalópole da Índia, com cerca de 6 milhões de habitantes. 

A megalópole de Bangalore, pelo contrário, a terceira cidade da Índia com cerca de 13 milhões de habitantes e uma das mais ricas do país, não está preparada para fazer face à pandemia, a falta de médicos é flagrante e a cidade entrou às 20 horas locais desta terça-feira (14/07) em confinamento, durante pelo menos 10 dias, esperando conter a propagação do vírus.

Os habitantes precipitaram-se para as lojas e super-mercados temendo dificuldades no aprovisionamnto de bens alimentares e outros de primeira necessidade, mas também um prolongamento do confinamento por um mês ou dois.

Bangalore e o Estado de Bihar representam 10% da população indiana, que serão reconfinados a partir desta terça-feira (14/07) e além de Nova Deli e Bombaím, as duas cidades mais atingidas, onde importantes meios foram implementados, nos últimos meses regista-se uma estabilização do número de casos, mas o vírus progride rapidamente em quase todas as regiões indianas, com destaque para o sul e leste, enquanto o pico nacional de contaminações ainda não foi atingido e só deverá ocorrer dentro de vários meses.

A 25 de Março a Índia instaurou um estricto e quase brutal confinamento nacional, quando apenas registava 600 casos de Covid-19 e 10 óbitos, situaçõ que durou até ao inicio de Junho, com rastreios domiciliários e "zonas de contenção" distinguidas pelas cores vermelho e cor de laranja e em todo o país foram proibidas as viagens aéreas, ferroviárias e rodoviárias e encerradas as escolas, faculdades e outras instituições de ensino, bem como hotéis, restaurantes e centros comerciais.

Desde então vários reconfinamentos à escala regional e local multiplicam-se no país, para tentar conter a pandemia de Covid-19.

Índia retoma confinamento

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.