Acesso ao principal conteúdo
França /Justiça

Indiciados polícias cujo controlo resultou na morte de estafeta em Paris

Sofia Chouviat,filha  do estafeta morto no dia 5 de Janeiro, duranten uma conferência de imprensa em Paris no dia 23 de Junho, em que a família Chouviat reclamava o indiciamento dos polícias envolvidos no fatídico controlo.
Sofia Chouviat,filha do estafeta morto no dia 5 de Janeiro, duranten uma conferência de imprensa em Paris no dia 23 de Junho, em que a família Chouviat reclamava o indiciamento dos polícias envolvidos no fatídico controlo. AFP
Texto por: RFI
4 min

Em França, a justiça acusou formalmente de homicídio involuntário três dos quatro polícias envolvidos na operaçao que levou à morte de Cédric Chouviat, em Janeiro deste ano. A famíilia de  Chouviat considera a qualificaçao penal demasiado. Dois  dos três agentes da polícia implicados no drama foram colocados sob controlo judicial e proibidos de qualquer contacto com os seus colegas presentes no dia do incidente.      

Publicidade

Três dos  quatro agentes da polícia implicados no controlo que resultou na morte do estafeta Cédric Chouviat foram indiciados  por  homicídio  involuntário nos  dias 7 e 8  de Julho.

A  família do  estafeta  morto em Paris, no decurso da actuação policial, considerou demasiado ligeira a  qualificação  de  "homicídio involuntário" .  

No que diz respeito ao quarto elemento da patrulha de polícia que controlou Cédric Chouviat, uma agente que  filmou a cena com o seu telemóvel, foi-lhe  atribuída o estatuto de testemunha cooperativa.

Cédric Chouviat, de 42 anos,  morreu no dia 5 de Janeiro na sequência de um ataque cardíaco ocorrido dois dias depois do controlo policial aceso, próximo da   torre Eiffel, durante o  qual ele foi deitado ao chão com o seu capacete de motociclista.

De acordo com  os primeiros  elementos da autópsia comunicados  pelo Ministério Público de Paris,  que decidiu instaurar rapidamente um  processo  judicial por  "homcídio involuntário" , Chouviat  foi transportado para o hospital em estado grave e morreu por asfixia, motivada pela fractura da laringe.

A família de Cédric Chouviat expressou nesta quinta-feira o seu alívio pelo indiciamento dos polícias, mas considerou, não obstante, que a qualificação da acusação não está adequada à  violência e agressividade dos agentes da polícia durante o controlo rodoviário.

No código penal francês, o  homcídio involuntário é um delito, passível de tribunal correccional, enquanto a  violência voluntária, que provoca a morte sem a premeditada intenção, constitui um crime julgado pelo tribunal de primeira instância.

Esta última, era a qualificação penal desejada pela família de Cédric Chouviat, que acusou aos agentes de polícia de terem espancado intencionalmente o estafeta parisiense, no decurso do fatídico controlo do dia 5 de Janeiro.

3 Polícias indiciados na morte de Cédric Chouviat

                

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.