Acesso ao principal conteúdo
Ciência

Ventilador português poderá estar nos hospitais até final do ano

Áudio 06:49
Ventilador fabricado em Portugal pela empresa Sysadvance em parceria com a Ordem dos Médicos.
Ventilador fabricado em Portugal pela empresa Sysadvance em parceria com a Ordem dos Médicos. © Sysadvance
Por: Carina Branco
16 min

A pandemia de Covid-19 expôs várias fragilidades nos sistemas de saúde de diferentes países, nomeadamente a escassez de ventiladores de cuidados intensivos. Em Portugal, foi criado o ventilador SYSVent que poderá estar no mercado até ao final do ano. Em que consiste, quais as vantagens e quais as expectativas? As respostas com o cabo-verdiano Danielson Pina, responsável pela investigação e desenvolvimento deste projecto na empresa Sysadvance.

Publicidade

O Ventilador SYSVent OM1 foi desenvolvido pela empresa Sysadvance em parceria com a Ordem dos Médicos e em colaboração com o Centro de Cirurgia Experimental Avançada. O objectivo é tê-lo nos hospitais até ao final do ano. O equipamento cumpre requisitos como a administração e controlo de mistura de oxigénio, assim como o controlo por pressão e volume quer em modo de controlo mandatório quer em modo assistido.

Trata-se de um ventilador desenvolvido especificamente para cuidados intensivos e que pode ser usado numa situação pandémica como a que vivemos. A vantagem é que pode ser monitorizado remotamente, ou seja, os profissionais de saúde podem manter distanciamento. Além disso, a empresa terá a capacidade para produzir 20 ventiladores por dia e por turno, mas, se necessário, poderão ser produzidos entre 40 a 60 ventiladores por dia.

Oiça aqui todas as explicações com o cabo-verdiano Danielson Pina, responsável I&D do projecto.

Ciência - Entrevista a Danielson Pina

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.