Acesso ao principal conteúdo
Estados Unidos

EUA: candidato democrata à presidência escolhe primeira mulher negra para «vice»

Joe Biden e Kamala Harris.
Joe Biden e Kamala Harris. REUTERS/Lucas Jackson
Texto por: Liliana Henriques
5 min

Joe Biden, candidato democrata às presidenciais de Novembro nos Estados Unidos, anunciou ter escolhido a senadora da Califórnia, Kamala Harris, como candidata à vice-presidência do país, esta última sendo a primeira mulher negra a ser candidata ao posto de número 2 na Casa Branca.

Publicidade

No passado mês de Março, Joe Biden já tinha indicado que o seu co-piloto seria uma mulher. Apesar de não ser a primeira a ser designada para esta responsabilidade, já que antes dela, a democrata Geraldine Ferraro foi indigitada para este posto em 1984 e, em seguida, em 2008, a republicana Sarah Palin seguiu o mesmo caminho, aos 55 anos, Kamala Harris, antiga procuradora eleita senadora da Califórnia em 2017, é a primeira mulher negra a ser candidata a esta função.

Reagindo à sua escolha como «vice», o Presidente cessante e candidato republicano a um segundo mandato, Donald Trump, falou de Kamala Harris como sendo a senadora “mais mesquinha, horrível, desrespeitosa e liberal” e qualificou ainda de «esquerdista radical» esta personalidade tida no seu partido como pertencente à ala «centrista».

Filha de um pai de origem jamaicana, professor de economia na universidade de Stanford e de uma mãe indiana, investigadora na área da oncologia, Kamala Harris, tem uma carreira de 30 anos como magistrada. Procuradora de San Francisco entre 2004 e 2011 antes de ser promovida Procuradora geral da Califórnia entre 2011 e 2017, ela ganha estatura nacional na altura da eleição de Trump em 2016, quando se lança na política e é eleita senadora.

Nesse cargo, Kamala Harris ilustra-se sobretudo pelo seu estilo directo em comissões de inquérito. Em 2018, designadamente, Harris atacou de forma violenta o então candidato apoiado por Trump para o cargo de juiz no Supremo Tribunal, Brett Kavanaugh, acusado de agressão sexual. Kamala Harris, também deixou amargas recordações ao ex-procurador Jeff Sessions, quando num interrogatório em 2017, o questionou sobre os seus elos com a Rússia durante a campanha presidencial de 2016.

Apesar de se apresentar como uma «progressista», tendo designadamente como procuradora lançado um programa de formação para lutar contra a delinquência, a ala esquerda do seu partido apontou que ela recusou a ideia de equipar os polícias de câmaras para lutar contra as violências policiais e que ela raramente lançou acções contra agentes acusados de matar civis.

Ainda assim, a morte em finais de Maio de George Floyd, afro-americano asfixiado por um polícia branco, e a mobilização geral que seguiu terão decidido Joe Biden a escolher entre 11 potenciais candidatos a sua ex-adversária nas primárias democratas que ainda há alguns meses o acusava de ter sido no passado favorável à segregação racial.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.